No seguimento da sua saída do Governo, a que J Pedro de Morais reagiu negativamente, foram publicadas na imprensa de Luanda notícias de cariz depreciativo para o próprio, cujas fontes denotavam conotação com o meio presidencial.

De acordo com uma dessas notícias, J Pedro de Morais teria obtido através de indevidos favores o título de melhor ministro das Finanças de África (AM 319), que lhe foi conferido pela “The Banker” , uma anomalia de que existiriam provas. Também circularam rumores de que aproveitou a sua passagem pelo Ministério das Finanças para acumulação privada, nomeadamente acrescentando o seu património imobiliário – de cuja lista se diz fazer parte uma mansão em Miami, EUA, avaliada em USD 4,6 milhões.

No plano verbal foram mesmo referenciadas insinuações pondo em causa a autenticidade das suas habilitações académicas. Um irmão de J Pedro de Morais, o Gen Pedro Neto, fora antes afastado do cargo de CEM da Força Aérea por razões também relacionadas procedimentos venais.

O afastamento de J Pedro de Morais e o subsequente aproveitamento do caso, foramvistos em meios políticos de Luanda como tendo sido “seleccionados” pelo gabinete presidencial como demonstração do propósito de combater a corrupção e os abusos de poder manifestado por José Eduardo dos Santos no termo da recente campanha eleitoral.

Fonte: AM



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: