Lisboa - Em entrevista ao FT, José Filomeno dos Santos reagiu às críticas de falta de transparência da sua nomeação para 'chairman' do Fundo Soberano de Angola.


Fonte: Económico

José Filomeno dos Santos, filho do Presidente de Angola, foi nomeado presidente do conselho de administração do Fundo Soberano de Angola há cerca de duas semanas. Desde essa altura que têm crescido as críticas e acusações de favoritismo da escolha do seu nome para o cargo face à relação familiar com José Eduardo dos Santos, que está no poder há mais de trinta anos. Numa entrevista ao Financial Times, José Filomeno dos Santos refutou as acusações, afirmando que o fundo deveria ser avaliado pela sua performance em vez de "serem feitas suposições sobre coisas que não ocorreram".


O responsável pelo fundo, que gere cinco mil milhões de dólares (cerca de 3,9 mil milhões de euros) provenientes das receitas petrolíferas insistiu que o fundo será gerido de forma transparente. "Desde o lançamento do fundo temos estado muito focados na adesão às melhores práticas de governance disponíveis internacionalmente", referiu José Filomeno dos Santos. "É na base deste compromisso no sentido da transparência e na adopção das melhores práticas de governance para o fundo [...] que esta nomeação foi feita", acrescentou.


O fundo soberano de Angola- um dos maiores de África - foi lançado em Outubro do ano passado. De acordo com a sua política de investimento anunciada no mês passado, este fundo vai focar o seu investimento em títulos de renda fixa. Mais em particular, dívida soberana de países do G7 e obrigações de elevada qualidade (‘investment-grade') de empresas.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: