Luanda - O presidente do Conselho de Administração da Feira Internacional de Luanda, Matos Cardoso, considerou a FILDA como um dos indicadores do crescimento económico que assume a cooperação entre Angola e vários países do mundo, por isso granjeou prestigio e reconhecimento da sociedade e parceiros.

Fonte: Angop

Falando durante a abertura da 30ª edição da FILDA, o PCA disse que este prestígio passa também pelos departamentos do Governo, de associações económicas nacionais e estrangeiros e departamentos ministeriais estrangeiros e até de Chefes de Estado Estrangeiros.

Toda esta acção, disse, foi concretizada na base de uma estratégia delineada em 1983, seguida por várias equipas que geriram a FILDA até a presente data, cuja acção se reflectiu ao longo dos anos e continuada por uma equipa de jovens criativos, responsáveis, patriotas que não medindo esforço deram continuidade ao processo.

Sendo assim, elevaram a fasquia e com visão e sentido de missão projectaram a FILDA do futuro e da modernidade para crescer igualmente em termos de visitantes e na consequente geração de negócios e parcerias.

Apelou aos participantes para encararem a presente edição, como um leque de excelentes oportunidades, como uma verdadeira bolsa de negócios, porta de entrada para novos mercados, com a dinâmica reconhecida pelo empresariado e empreendedores para contribuir numa Angola cada vez mais forte, sustentável e futura.

Matos Cardoso disse que ao longo dos 30 anos, a FILDA se auto-superou, migrou para outras áreas de negócios como promoção e atracção de investimentos, diversificando os seus produtos, multiplicou e cobriu todos os sectores da actividade económica.

Ainda partilhou de forma activa em acções formação, capacitação profissional, busca por fortes lideranças, disciplina e abnegação no trabalho, sendo estas as principais apostas da FILDA na presente edição.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: