Lisboa - Empresário fica como o maior acionista individual com 29% da nova sociedade, António Mosquito fica com 27% e Luís Montez ficará

Fonte: CM

O acordo para reestruturar a área de media do Grupo Controlinveste deve ficar fechado até ao fim desta semana. A nova sociedade (que poderá ser uma nova holding) terá a participação do BES e do BCP, que convertem 190 milhões de euros de dívida em 30% do capital (15% para cada entidade financeira). O grupo terá que gerir um remanescente de dívida bancária de 40 milhões de euros.

Joaquim Oliveira permanece como o maior acionista individual, mas vê a sua percentagem consideravelmente reduzida passando dos atuais 100% para apenas 29% do capital.

No grupo, entram dois novos acionistas; o empresário angolano, António Mosquito, que deverá injetar 15 milhões de euros, o que lhe dará 27% da nova sociedade, e o português Luís Montez que ficará com 14%. Ontem os vários intervenientes estavam a ultimar o modelo de gestão da futura sociedade que vai controlar, entre outros, o ‘Diário de Notícias’, ‘Jornal de Notícias’ e TSF. Contactada, a Controlinveste optou por não fazer comentários.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: