Luanda - O universo da música angolana, foi surpreendido o mês passado com anúncios do rapper Kid Mc, que davam a entender que se afastaria por tempo indeterminado do mundo da música.

*Pihia Rodrigues

Fonte: Jovens da Banda (jovensdabanda.co.ao)

As declarações do rapper, algumas destas um tanto confusas, faziam parte de alguns episódios de uma novela que terminou com uma nota da MAD TAPES (sua produtora) a informar que o rapper encontrava-se numa fase delicada em que carecia de avaliaçāo médica e a pedir a compreensão dos fās.

Aparentemente já numa fase mais calma, a revista Jovens da Banda, esteve com o rapper que neste momento frequenta uma formação de comunicação social, PROJECTO HORA H, aos sábados no Instituto superior João Paulo II, junto ao largo das escolas. Foi num dos intervalos desta formaçāo que Kid Mc cedeu ao nosso JdB,Pihia Rodrigues, uma breve entrevista onde [ele] falou-nos do seu estado de saúde, da sua filiaçāo partidaria e de outras polémicas que se viu envolvido nos últimos dias.

Fim da Carreira (?)

Na verdade, o rapper KID MC tem vindo a lutar contra problemas de alteração no sistema nervoso, o que dificulta algumas vezes a gestão da sua carreira e do tempo "estava mesmo para parar de cantar mas depois meus próximos chamaram-me à razão, agora estou de volta"o artista apontou a pouca atenção que tinha para os seus próximos como causas que o levaram a deixar a música "já não dava muita atenção à minha filha e namorada, agora as coisas estão melhor organizadas, já não haverá convites relâmpagos para viajar por exemplo para o Brasil ou Portugal, e nem era falta de coordenação, era o momento da expansão da minha carreira, era questão de aproveitar a oportunidade".

Filiação Partidária.

Sobre a polémica do vídeo onde o revolucionário exibe cartão do MPLA, o mesmo assume ser do partido no poder já há muito tempo "a minha música é contestatória, como qualquer angolano não concordo com o tipo de governação em Angola, mas isso não é razão para ser apartidário. Eu sempre pertenci ao MPLA", Kid revelou que rejeitou vários convites do seu partido nas campanha das eleições de 2008 e 2012, "porque não vou usar a minha música que é contra a governação para persuadir as pessoas a votar. Acho que estaria a me desvalorizar".

O rapper tenciona contribuir com ideais próprios no partido "tenho muitas ideias em carteira para contribuir enquanto militante, mas é segredo, vou divulgar mais tarde. Quero estar numa posição hierarquicamente vantajosa para ajudar as pessoas", não descartou a possibilidade de ser deputado.

Para ler o artigo na sua integra e ouvir o aúdio da entrevista visite o link http://goo.gl/baQRJs



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: