Lisboa - O técnico dos Palancas Negras, Romeu Filémon, poderá abandonar o cargo nos próximos dias por incumprimento do seu contrato, por parte da Federação Angolana de Futebol.

Fonte: Club-k.net

Filémon despejado por falta de pagamento de renda da casa 

O treinador, que está pela segunda vez a frente do combinado nacional, não recebe salários há seis meses, e por força deste embaraço, passa por dificuldades gritantes, segundo um dos assessores do treinador, que está a tratar do expediente que ditará o fim do aludido contrato.

"Na verdade, o professor Romeu Filémon não recebe salários há seis meses, e como deve calcular passa por enormes constrangimentos. Ele  está a sobreviver graças aos apoios que recebe de amigos e familiares", disse o assessor que preferiu o anonimato.

Os incumprimentos da entidade reitora do futebol angolano, remeteram Romeu Filémon a uma situação vergonhosa. Neste momento, o jovem  treinador está em casa de um familiar, por ter sido despejado da residência onde vivia porque a FAF não pagava renda há largos meses, violando assim um detalhe do contrato. "O Filémon não resistiu aos incómodos do senhorio por falta de pagamento de renda da casa, saiu e foi albergado por um familiar", informou o assessor.

É ainda chocante o facto de o treinador estar a se locomover com apoios de terceiros, às vezes de táxi, porque a FAF não o concedeu viatura conforme consta no acordo. “ O carro dele foi danificado recentemente em consequência de um acidente, e neste momento, depende de terceiros para  ir trabalhar. Até hoje a FAF finge que não tem a obrigação de lhe atribuir uma viatura", acrescentou a fonte. 

O assessor disse ainda que Romeu Filémon tem recebido convites para treinar equipas grandes do Girabola, mas vê-se obrigado a rejeitar por uma "questão de ética", já que ainda está ligado contratualmente com a FAF.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: