Luanda - A ausência de Rivaldo, antigo jogador do Kabuscorp Sport Clube do Palanca, ou de um representante seu em Angola, é apontada pela direção do clube palanquino como um dos principais motivos que dificultou o pagamento atempado da dívida contraída com o futebolista brasileiro.

Fonte: Sapo

Em declarações prestadas esta quinta-feira à Angop, o vice-presidente do Kabuscorp do Palanca, José Domingos "Dimas", em reação ao comunicado da FIFA que exige o pagamento de 750 mil dólares, acrescidos de uma multa de 23 mil dólares ao atleta, sob pena de ser despromovido, assegurou que a agremiação sempre respondeu às notificações do órgão reitor do futebol mundial.

 

"Por várias vezes a direção do Kabuscorp contactou o ex-futebolista brasileiro na possibilidade de este viajar para Angola ou um dos seus representantes, no sentido de tratar do assunto", adiantou o responsável, afirmando que o clube é uma instituição séria, responsável e que nunca fugiu aos seus direitos e deveres.

 

"Reconhecemos estar em falta para com o nosso antigo jogador, o brasileiro Rivaldo, e vamos, sim, pagar a dívida", prometeu.

 

O vice-presidente fez saber que a direção do Kabuscorp está a estudar a possibilidade de enviar ao Brasil elementos da agremiação angolana, no sentido de dialogar com a parte lesada e tão logo liquidar a dívida.

 

Rivaldo, que já jogou no Barcelona e foi campeão do mundo pela seleção brasileira (2002), atuou durante a época 2012 pelo Kabuscorp do Palanca, marcando 11 golos em 21 jogos, ficando a três do artilheiro da prova, o atacante do Progresso do Sambizanga Yano.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: