CARTA ABERTA AO PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA (PGR) DR. HELDER PITTA GRÓZ


Digníssimo,


Aos vinte dias do mês de Dezembro de 2017, o Mais Alto Magistrado da Nação, João Manuel Gonçalves Lourenço, de sua graça, nomeou-o para o cargo de Procurador-Geral da República com o nobre fito de continuar a emprestar o seu sábio e prestimoso concurso à construção do Estado de Direito. João Lourenço designou-o para este honroso e sacerdótico cargo para ajudar a materializar a Justiça para todos angolanos, independentemente da sua condição social, política e económica.


Enquanto figura política que lidera o Ministério Público, é imperioso que se associe à pretensão do Presidente João Lourenço de mostrar à nova Angola que, nos dias de hoje, “NINGUÉM É SUFICIENTEMENTE RICO QUE NÃO POSSA SER PUNIDO, NINGUÉM É POBRE DEMAIS QUE NÃO POSSA SER PROTEGIDO (sic!).”


É suposto, possível e desejável, nesta Angola politicamente mais arejada e menos tensa, mostrar aos “todo-poderosos” de ontem, que é chegada a hora dos tribunais e que se acabou o tempo em que os “chacais” faziam tudo (e mais alguma) coisa, incluindo intimidar operadores de Direito como magistrados. O tempo da “Lei da Bala” já lá vai.


Enquanto cidadão angolano, em pleno gozo dos meus Direitos Civis e Políticos, gostaria que O Digníssimo Procurador-Geral da República demandasse a abertura de um inquérito ao tenente-general LEOPOLDINO FRAGOSO DO NASCIMENTO, vulgo “General Dino”, para aferir da maneira como acumulou riqueza sendo um agente público em funções sem antecedentes pessoais e familiares de riqueza.


Gostaria de saber como é que, verbis gratia, o cidadão Leopoldino Fragoso do Nascimento (“General Dino”) se tornou acionista da TV ZIMBO e de outras empresas de que é sócio.
Muitas são as denúncias que têm sido feitas relativamente à origem do dinheiro do senhor tenente-general Leopoldino Fragoso do Nascimento.


Não deveria a PGR há muito tempo ter instaurado um inquérito, em função de denúncias públicas reiteradas, sobre a (i)licitude do enriquecimento do agente público Leopoldino Fragosos do Nascimento?


Esta seria uma forma, Digníssimo Procurador-Geral da República, de ajudar a resgatar a tão apregoada Justiça Social no País e ajudar O Presidente João Lourenço a combater a corrupção e os seus agentes.


Espero, fervorosamente, que ordene um minucioso inquérito para se apurar, por exemplo, a (i)licitude da riqueza do senhor tenente-general Leopoldino Fragoso do Nascimento, que aqui há uns anos era “proprietário de nada” para hoje ser “dono de tudo ( e mais alguma coisa)”.


Tenho a “certeza matemática” que O Digníssimo Procurador-Geral da República é um homem comprometido com a Lei e a Justiça. Acredito piamente que vai prestar a Sua douta atenção à demanda de um cidadão, eleitor e contribuinte que está com sede de Justiça numa Angola que se quer hodierna e igual para todos.


Atentamente
Jorge Eurico
26.11.2018



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: