Washington - Começam a chegar os ecos da VI Sessão Ordinária do Comité Central do MPLA, reunião que ficou marcada como a primeira sessão de trabalhos presidida por João Lourenço na qualidade de Presidente do MPLA.

*Rosario Neto
Fonte: Club-k.net

Primeiro CC de João Lourenço marcado por inovações


A reunião que inicialmente estava prevista para decorrer em dois dias, acabou por realizar-se só num dia numa condução dos trabalhos feita de forma menos burocrática por João Lourenço que foi bastante apreciada e aplaudida pelos presentes.

 

Pelo que se soube da agenda de trabalho, verificaram-se inovações com titulares de pastas ministeriais a serem chamados para apresentar situações dos seus pelouros.

 

O Ministro de Estado Chefe da Casa Militar, general Pedro Sebastião falou sobre a Operação Transparência, o Ministro do Interior sobre a Operação Resgate, a Ministra da Saúde sobre o Diagnóstico do sector da saúde no país, o Ministro das Finanças sobre o OGE, o Ministro da Construção sobre o estado das estradas no país e o Ministro dos petróleos sobre a estratégia do sector para o futuro.

 

Destas apresentações muito elogiadas por serem uma inovação positiva, surgiram intervenções muito aplaudidas destacando-se as de Adriano Botelho de Vasconcelos, Bento dos Santos “Kangamba”, João Pinto, Coutinho Nobre Miguel e Alberto Neto.

 

O escritor e Conselheiro da República Adriano Vasconcelos foi muito aplaudido ao solicitar ao Ministro das Finanças Archer Mangueira uma maior atenção as bolsas de estudo para os estudantes mais carenciados.

 

Uma especial ovação teve o empresário Bento dos Santos “Kangamba” que solicitou ao Ministro do Interior uma maior humanização da Operação Resgate apelando a um maior respeito pela dignidade humana em particular as vendedoras de rua vulgo zungueiras.

 


O também General na reserva sugeriu ao novo líder do partido que os membros do MPLA aos mais variados níveis que se destacaram por serem activistas sociais possam trabalhar na sensibilização da população para deixarem de vender nas ruas e aderirem aos espaços criados pelo Governo para o efeito. Sobre este ponto, o Presidente do partido esclareceu que as forças da ordem estão instruídas para respeitar a população, mas, a ordem deverá ser reposta para se evitar que espaços públicos como as passagens aéreas para peões sejam transformados em mercados.

 

Prosseguindo na sua intervenção, o empresário foi objecto de palmas da audiência por ter saído em defesa da ministra da saúde quando alguns presentes tentaram por em causa alguns dados apresentados, pela governante Sílvia Lutucuta. Kangamba classificou a Ministra da Saúde como sendo "tropa" dizendo ao líder do partido que a mesma tem sido incansável no trabalho directo com as populações na procura da melhoria do estado da saúde em Angola.

 

Já o interventivo Deputado João Pinto relembrou que a sua mãe nos anos 1960 já vendia pelas ruas de Luanda e que as quitandeiras fazem parte do cotidiano da capital tal como descrito por vários poetas. Pinto apresentou argumentos jurídicos e constitucionais sobre os limites da operação Resgate e o respeito pelas zungueiras tendo recebido muitos aplausos e simpatia.

 

Outra intervenção de João Pinto que foi secundada pelo banqueiro Coutinho Nobre Miguel e que foi muito aplaudida foi a solicitação da revisão da proposta de Código de Ética para o militante do MPLA que estava a ser proposto pela Direção de Auditoria e Disciplina.

 

Depois de muitos debates, a proposta de Coutinho Nobre Miguel foi acatada e o documento foi suspenso e será revisto em outras sessões do Comité Central do partido no poder em Angola.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: