Luanda - A TV Zimbo foi a primeira televisão de Angola a falar da Jamba numa perspectiva diferente daquela com que me habituaram as instituições deste País nos últimos 43 anos. Foi daquela Capital de Angola Livre, não ocupada por russos, cubanos, sul africanos, onde partiu tudo que tem mudado Angola desde a República Popular de Angola em 1992 aos dias de hoje.

Fonte: Club-k.net

A força do Projecto Okavango uma mina acima das expectativas dos governantes dos países envolvidos, obriga as instituições angolanas a falarem a verdade escondida desde os anos 70 do século XX. Pois, Angola é o país mais atrasado na implementação deste projecto Transfronteiriço da Conservação Okavango Zambeze (KAZA-ATFC), que junta cinco países da África Austral, nomeadamente Angola, Zâmbia, Zimbabwe, Botswana e Namíbia.


A Jamba foi de facto a Capital de Angola Livre, um Estado dentro do Estado de Angola e fora da República Popular de Angola. Na Jamba Capital da Resistência ao expansionismo russo-cubano havia o largo da Liberdade onde estava o comboio concebido pelo SINTRAL (Sindicato dos Trabalhadores de Angola Livre) em homenagem a um dos primeiros negros angolano como chefe de estação do CFB, o Secretariado Geral do Partido, o Hospital Central, o Estado Maior General com a Sala de Operaçoes e as TRMS (Estrutura de comunicação militar e administrativa), o Governo (de que me recordo às leis por si decretadas como a lei sobre a protecção da fauna e a lei 140 sobre as bebidas alcóolicas), a Fábrica de fardamento militar, a polícia, as cadeias e a BRINDE (Brigada Nacional de Defesa do Estado), a casa do Dr. Savimbi conhecida por Águias da Liberdade, a Área da Cooperação onde viveram por muitos anos os embaixadores dos USA, o BI (Base de Instrução Militar), as Escolas em especial o Liceu da Jamba e ouras instituições.


Quanto a VORGAN (Voz da Resistência do Galo Negro) seus Directores por esta ordem foram Franco Marcolino Nhany actual Secretário Geral da UNITA, Zito Kalhas e Clarindo Kaputu. O Dr. George Valentim, Dr. Jaka Jamba e Marcial Dachala foram Secretários da Informação.


As estruturas que se perderam no tempo como o Cemitério da Jamba e outras merecem de nós maior respeito para se perpectuar sua História que foi decisiva na determinação do surgimento da República de Angola democrática e de direito. Erguer os sítios e monumentos é uma tarefa de Angola que se reconcilia consigo mesma. A UNITA precisa capacitar-se na negociação com o Governo de Angola para esta tarefa ingente.


Por exemplo, a capacidade de negociação da UNITA sobre o aeroporto da Jamba sua obra, deve conduzir para o estabelecimento de parceria público- privada com o Governo de Angola e as receitas resultantes desta parceria a UNITA destinar a sua parte as associações dos antigos combatentes das ex- FAPLA, ex-FALA ex-ELNA, em respeito daqueles que tudo deram por Angola e hoje sem apoios do Estado.


A Jamba é a Capital de Angola Livre que deu Angola a unidade territorial, a democracia, o estado de direito e a capacidade de luta pela cidadania e pelos direitos constitucionalmente consagrados.


Jamba para sempre!

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: