Lisboa – O governo de Angola -  sob liderança de João  Manuel Gonçalves Lourenço -  quer de volta para o ministério da juventude e desperto a gestão do pavilhão multiuso “arena do Kilamba”, da centralidade do Kilamba, que o antigo titular Gonçalves Muandumba, havia confiado - sem concurso público -  a um sócio empresarial, neste caso o  actual Presidente da Federação de Basquetebol, Hélder Martins da Cruz também conhecido por “Maneda”.

Fonte: Club-k.net

Orçado em 90 milhões de dólares americanos, O pavilhão Arena do Kilamba foi construído, em 2013, para acolher o último mundial de hóquei em Patins que Angola acolheu. Anteriormente era designado por “Arena do Kilamba”, em homenagem ao primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto. Porem, com a actual gestão passou a designar se ARENA HELMARC (diminutivo de Hélder Martins da Cruz) em todos os documentos oficiais”.

 

Segundo fontes avançadas pelo jornalista Mariano Almeida, “esta decisão do ministério despoletou uma onda de desentendimento ou de rotura entre o cidadão Hélder Cruz, enquanto proprietário da empresa Helmarc e em simultâneo presidente de direção da FAB.”

 

Mariano de Almeida, refere ao ministério como tendo se antecipado para uma “ofensiva” da PGR que visa pôr fim atropelos ilegais consubstanciados no que ele designa por "triangulo das Bermudas" entre Unitel/FAB-Maneda/Helmarc - Maneda. Citando em dizeres de corredores, o jornalista que presta atenção as questões virada ao desporto, alega que, “a Unitel paga os compromissos inerentes ao patrocínio do UNITEL-Basquete a FAB, que por sua vez paga a HELMARC, empresa de Hélder Cruz, num verdadeiro escândalo de negociar consigo mesmo.”

 

Por conseguinte, o jornalista saúda, a nova ministra da juventude e desporto por “esta tomada de decisão”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: