Luanda - O Departamento Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), órgão indexado a PGR, em Luanda, decretou interdição de saída do país contra o director-executivo da Semba Comunicação, Sérgio Valentim Neto, no âmbito do processo n.º 68/2018, na qual esta implicado o antigo director do extinto Gabinete de Revitalização e Execução da Comunicação Institucional e Marketing da Administração (GRECIMA), Manuel António Rabelais.

*Carlos André
Fonte: Club-k.net

Ao tempo do GRECIMA, Sérgio Valentim Neto exercia, neste organismo que funcionava sob alçada da Presidente da República, as funções de coordenador, o que equivale na pratica a “director-adjunto”. A “Semba Comunicação”, era subcontratada do GRECIMA.

 

A 31 de Outubro de 2018, uma notícia do portal “Correio da Kianda” dava conta que Sérgio Valentim Neto estava a ser ouvido por “supostos actos de corrupção durante a vigência do contrato de gestão do canal 2 da TPA e TPA internacional, envolvendo o antigo director do GRECIMA e ministro da Comunicação Social, Manuel António Rabelais e a Westside Investiments, empresa detida pelos filhos do antigo Presidente da República, José Eduardo Dos Santos, nomeadamente Welwitcha Dos Santos “Tchize “ e José Eduardo Paulino Dos Santos “Coreon  Dú”.

 

O mesmo portal indicava igualmente que “as contas bancárias de Sérgio Neto foram bloqueadas para garantir, em caso de julgamento e condenação, que o Estado é ressarcido dos prejuízos.”

 

Os contratos entre o Ministério da Comunicação Social, a Televisão Pública de Angola (TPA) e as empresas privadas Westside e Semba Comunicações referentes à gestão do Canal 2 da TPA e da TPA Internacional, foram cancelados e a sua gestão alocada a TPA, dando seguimento a um despacho assinado pelo Presidente da República, João Lourenço, durante o seu primeiro ano de mandato.

Tema relacionado

Luisa Abrantes afirma que contrato entre Semba e TPA foi a convite de Rabelais

Tchizé dos Santos  diz que não se arrepende da TPA

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: