Lisboa - A deputada Tchizé dos Santos foi esta sexta-feira suspensa  do Comité Central, órgão de faz parte. A decisão, segundo apurou o Club-K, foi aprovada   a margem daquela que foi considerada  a última reunião antes do VII Congresso Extraordinário do partido marcado para 15 de Junho que vai reafirmar a liderança e a estratégia do Presidente João Lourenço.

Fonte: Club-k.net

“O comité central aprovou a instauração de um processo disciplinar e a aplicação da medida de suspensão da qualidade de membro do Comité Central, de acordo com o artigo 35 dos estatutos do MPLA, a camarada Welwitschea José dos Santos, membro deste órgão, pela conduta que atenta contra as regras de disciplina à luz dos Estatutos e do Código de Ética partidária”, le-se no documento que o Club-K teve acesso.

 

A suspensão de Tchizé acontece quase um mês depois de ter entrado publicamente em trocas de argumentos com altos responsáveis do MPLA, a volto do tema da sua ausência no parlamento, acrescido a uma alerta da mesma sobre actos praticados pelo líder do partido, João Lourenço, enquanto chefe de Estado.


Na ocasião o porta voz do MPLA, Paulo Pombo, garantiu – em entrevista a Lusa - que a expulsão de Tchizé dos Santos no parlamento não está equacionada mas garantiu por outro lado que o assunto seria debatido pela comissão de disciplina, pelo que não se podia antecipar seja o que for sobre uma eventual decisão de órgãos que são "independentes e autónomos".


Paulo Pombolo lembrou que o partido "não tem por norma" discutir os assuntos internos na "praça pública", tanto mais que Tchizé dos Santos, que está a residir no reino Unido, integra o Comité Central do MPLA, cujos membros têm responsabilidades acrescidas, superiores às dos militantes de base.


"A camarada Tchizé dos Santos, como membro do Comité Central, sabe que há regras e normas a cumprir e está a portar-se mal", afirmou, lembrando que tudo começou com uma carta do grupo parlamentar do MPLA, data de 7 de maio, a "aconselhar" a deputada a suspender temporariamente o mandato por estar ausente do Parlamento há mais de 90 dias.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: