Luanda – Em declarações à imprensa no final da 2ª Sessão legislativa da IV legislatura da Assembleia (2018/2019), o líder da FNLA, Lucas Ngonda aconselhou os juízes implicados em escândalos de corrupção a colocarem os seus lugares a disposição para que a justiça funcione sem maculas.

Fonte: Club-k.net

"Para a  justiça funcionar sem macula"

Segundo o deputado, “Assistimos hoje que na justiça em Angola até os juízes do Tribunal Supremo estão envolvidos na corrupção”, o que no seu ponto de visto “é muito perigoso para o nosso país”.

 

Ngonda reconhece que “Há um esforço enorme para que os investidores venham em Angola para ajudar dar um impulso na diversificação da económica, mas se há um juiz do Tribunal Supremo envolvido nisso [corrupção], que confiança é que se pode oferecer aos investidores”.

 


O deputado entende que se está  “numa crise de falta de credibilidade, não só internamente, mas como a nível da comunidade internacional, o que é mal. O que nos esperávamos, tratando do tribunal supremo, é que a ordem moral, jurídica, seja assegurada pelo Tribunal Supremo”.

 


“Se o Tribunal Supremo que está afectado no problema, observa situações de corrupção, o que se vai esperar das instituições públicas de Angola”, questiona o deputado e professor universitário aguardando que “os próprios venerandos implicados nisso viessem a público declarar a sua inocência ou então de uma certa forma porem os seus lugares a disposição para a  justiça funcionar sem macula”.

 

Tema relacionado

Combate ao Terrorismo: EUA pedem esclarecimento sobre desfecho da Arosfran

Alegadas transações ao terrorismo embaraçam banco BIC

50 milhões de euros na conta do Filho de Rui Ferreira provoca escândalo

Negócio de USD 300 milhões embaraça Juiz do Supremo: “Agi como facilitador”

Proprietários do Grupo Arosfram denunciam juiz Rui Ferreira

Ferreira pede a juízes apoio para sua continuidade no cargo

SIC notifica “Kito” por expor negócios de Juiz do Tribunal Supremo

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: