Luanda - O Bai decidiu condicionar as transferências de ajuda familiar e de lazer, com recurso à moeda nacional, à venda de divisas pelo banco central, medida que contraria as declarações do governador do BNA, que garantiu haver liquidez em divisas para a execução imediata dos pedidos.

Fonte: VE

Participada pela Sonangol, com 8,5%, a entidade bancária também definiu que os clien- tes que remetam solicitação de transferência, com recurso à moeda nacional, terão de aguar- dar a análise do processo em 15 dias. Já quem a solicite e tenha dólares ou euros na conta verá o pedido resolvido em 48 horas, como esclareceu, ao VALOR, o banco, através da sua assessoria de imprensa.

 

A posição do Bai surge ainda no ‘calor’ de queixas de clientes sobre atrasos nos processos de transferências de verbas de Luanda para vários destinos no exterior e na sequência de declarações de José Massano, que garantiu haver fluxos de divisas suficientes nos bancos para a execução dos pedidos em dois dias úteis.

 

“O nível de liquidez em moeda estrangeira nos bancos comerciais está reposto”, garantiu o governador do BNA, em entrevista à RNA, tendo apelado aos clientes que não consigam ter acesso ou movimentar as suas contas em moeda estrangeira a accionarem os canais de reclamação, como o departamento de conduta financeira do banco central.

 

Vários clientes contactados pelo VALOR fizeram constar atrasos superiores a um mês nas transferências ou nos car- regamentos de cartões de pagamentos de marca internacional.

CARTÃO EM 30 DIAS

Face às limitações para atender as solicitações de aquisição de valores em moeda estrangeira, a administração do Bai assegura ter várias soluções alternativas, ao abrigo de uma directiva do banco central de 12 de Julho. “O prazo estabelecido pelo Bai está em conformidade com a exigência do BNA, de, no máximo, 48 horas.



Na impossibilidade de pagamento de numerário na moeda ou forma pretendida pelo cliente, o Bai oferece uma solução alternativa, que, dependente da finalidade da operação, pode ser numa moeda estrangeira alternativa livremente convertível, uma transferência bancária ou o car- regamento do cartão Kamba”, assegura o banco.

 

Segundo a instituição, “o tempo mínimo de tratamento do pedido de carregamento do cartão pré-Pago ‘Kamba’ é de 30 dias úteis, de acordo com a disponibilidade cambial”.

 

Dados do banco central mostram que, de Janeiro a Julho, os leilões de divisas já colocaram no mercado bancário acima de cinco mil milhões de dólares, precisamente 5.096.193.373,70 USD, e 34,6 milhões de euros nas várias sessões.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: