Huambo – Uma cidadã nacional que respondia pelo nome de Yelissa Leite Mendes, de 24 anos de idade, terá sido brutalmente assassinada, suponhasse que foi violada antes, pelo ex-namorado de nome Rui Coelho. O facto ocorreu na madrugada deste sábado, 31 de Agosto, na província do Huambo. Segundo a polícia, a malograda foi raptada pelo ex-namorado quando a mesma saia do serviço.

Fonte: Club-k.net/Angop
Filha de um missionário da Igreja Baptista, Yelissa era finalista do curso de Literatura Inglesa pelo Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) e leccionava a disciplina de ‘inglês’ numa das instituições de ensino médio.

 

Segundo a Angop, uma fonte familiar explicou que por volta das 20h40 de sexta-feira, 30, a vítima enviou mensagem aos familiares a comunicar que, apesar de ter saído cedo do serviço, chegaria tarde à casa, por ter sido convidada pelo ex-namorado que pretendia liquidar uma dívida financeira.

 

Na mensagem, a malograda explica que a dívida devia ser paga no bairro do Cambiote, oito quilómetros da cidade do Huambo, para onde deslocava-se com o namorado, tendo de seguida, desligado o telefone, que deixou preocupada a família.

 

O corpo de Yelissa foi encontrado por detrás de uma árvores caída, nas proximidades da floresta do Sacaála, arredores da cidade do Huambo, enquanto a sua viatura de marca Toyota 'Rav 4', cuja placa de LBB-96-31, foi encontrada no interior da Lagoa do R21, a uma distância de 10 quilómetros a sudeste do local do crime.

 

Por sua vez, o porta-voz da Polícia Nacional na província do Huambo, inspector-chefe Paulo Chindele Cassinda, disse tratar-se de um crime de homicídio qualificado, sob a forma consumada, sendo que o corpo da jovem foi encontrado esta manhã neste local.

 

O oficial informou que o suposto homicida, neste caso, o ex-namorado, encontra-se sob custódia das autoridades policiais, enquanto decorre a instauração do processo-crime para, posteriormente, remetê-lo ao Ministério Público.

 

Contudo, o inspector-chefe Paulo Chindele Cassinda apelou à população no sentido de denunciar indícios criminais, quer na família, como na comunidade, para evitar que situações do género aconteçam, numa altura em que as autoridades estão empenhadas na moralização da sociedade.

Ainda esta semana, a cidadã Lúcia Henriqueta Abel, de 29 anos de idade, foi assassinada pelo namorado, no interior de uma residência no bairro Chipachiwa, arredores da cidade da Caála (Huambo), na sequência de uma briga motivada por ciúmes, perfazendo dois casos em menos de sete dias.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: