Luanda - Em Benguela, o o ministro Manuel Tavares de Almeida, falando a jornalistas, referiu-se ao projecto como uma lei que deve ser cumprida, dizendo-se "muito convicto e muito determinado", no dia seguinte, o gabinete de comunicação do Ministério veio dizer que "a notícia é falsa e o senhor Ministro nunca proferiu tal afirmação" (com áudio)

Fonte: OPAIS

Reagindo à notícia publicada na edição desta Quarta-feira, 4, estampada na página 8, deste jornal, com o título “Governo vai avançar mesmo com a construção do Bairro dos Ministérios na Chicala”, citando declarações do ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, tecidas à imprensa, ontem, em Benguela, o Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa(GCII) deste departamento ministerial, desmente tal notícia.


Um comunicado de imprensa, lacónico, assinado pelo director do GCII, Ivan Henriques Marinho da Silva, acedido por OPAÍS, refere que “ a notícia é falsa e o Senhor Ministro não proferiu tal afirmação”. Entretanto, este jornal mantém-se firme na notícia publicada.


Ontem, numa matéria assinada pelo correspondente deste jornal em Benguela, Constantino Eduardo, o ministro da Construção foi questionado, pela imprensa, sobre a anulação do projecto da construção do Bairro dos Ministérios da Chicala, conforme matéria publicada no portal “Maka Angola”, do jornalista angolano Rafael Marques de Morais, este respondeu desconhecer o assunto.


“Não sei disso, eu não leio o Maka Angola”, afirmou, acrescentando ser uma pessoa “muito convicta e muito determinada”, mas sem referir a paragem do projecto, antes pelo contrário, o ministro disse que o projecto está inscrito no Plano Director da Cidade de Luanda. “Temos que respeitar aquilo que é lei”.


Estas declarações podem serem confirmadas num áudio em posse deste jornal.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: