Luanda - O presidente do grupo parlamentar da UNITA manifestou-se "seguro na validação" da sua candidatura à liderança do maior partido da oposição em Angola, que formalizou esta sexta-feira, tornando-se o primeiro dos cinco pré-candidatos a dar o passo.

Fonte: Lusa

"Estamos a fazer a apresentação da candidatura e vamos esperar que depois, creio no dia 11 de Outubro, tenhamos os resultados de todos quantos fizerem a pré-candidatura e estou claramente seguro que a candidatura vai passar", afirmou hoje Adalberto Costa Júnior, em declarações aos jornalistas, no momento de entrega das assinaturas.

 

Acompanhado por históricos da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), nomeadamente os deputados Samuel Chiwale, um dos fundadores do partido, e Ernesto Mulato, Adalberto Costa Júnior procedeu a entrega das assinaturas no complexo Sovismo, em Viana, sul de Luanda.

 

A entrega das assinaturas à Comissão de Mandatos do XIII Congresso Ordinário da UNITA, que se realiza entre 13 e 15 de novembro, em Luanda, teve início na segunda-feira e prolonga-se até 07 de outubro.

 

Para o pré-candidato, a ação constitui a conclusão de um ato "extremamente importante de um percurso, que se iniciou com a convocatória do congresso" e a sua candidatura tem vindo "a cumprir várias etapas".

 

"É o primeiro ato em que viemos depositar os documentos individuais e as assinaturas necessárias para formalizar a candidatura onde nos fizemos acompanhar de alguns mais velhos que nos deram a grande satisfação e de jovens de testemunharem esse passo", afirmou.

 

E, naturalmente, acrescentou: "Espero que tudo corra bem e que mais uma vez a UNITA dê uma lição de democracia neste acto", assinalou.

 

Adalberto da Costa Júnior é apontado como um dos favoritos à sucessão do atual presidente, Isaías Samakuva, tendo a sua candidatura recebido um manifesto de apoio subscrito por 126 militantes destacados do partido.

 

Outros quatro dirigentes da UNITA manifestaram também a intenção de se candidatarem à liderança do partido: Estêvão José Pedro Kachiungo, Alcides Sakala Simões, Abílio Kamalata Numa e, mais recentemente, Liberty Chiyaka.

 

O processo supõe vários requisitos, entre os quais a recolha de 50 assinaturas de militantes em cada uma das 18 províncias angolanas, mais 1.500 em Luanda.

 

O atual líder da UNITA, Isaías Samakuva, de 73 anos, "não manifestou intenção e não deverá avançar" com uma nova candidatura à presidência do partido que lidera há 16 anos, segundo uma fonte do partido do "Galo Negro". 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: