Luanda - Partido teme maus resultados, mas atrasar eleições prejudicaria credibilidade democrática de João Lourenço.

Fonte: Expresso

“As eleições autárquicas previstas para o próximo ano poderão ser adiadas”, revelou ao Expresso fonte próxima da Presidência angolana. A questão divide o MPLA (no poder), sendo estudado com reservas nalguns círculos do regime por poder acentuar a sua descredibilização política. Perante a vaga de contestação geral a algumas políticas governamentais, noutros círculos fala mais alto o receio de as urnas produzirem resultados desoladores para o MPLA, daí a ideia de as atrasar.


“Adiar as eleições não será bom, mas fazê-lo sem concertação prévia com a oposição e a sociedade civil seria ainda pior”, disse ao Expresso o presidente do Observatório Político-Social de Angola, Fernando Pacheco. Após sucessivos congelamentos, o ano de 2022 — em que se realizarão eleições gerais — é apontado como podendo vir a ser, por fim, o das primeiras eleições autárquicas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: