Luanda - O secretário de Estado dos Petróleos, José Barroso, afirmou hoje, em Luanda, que ainda está em estudo a possibilidade do Governo reajustar o preço dos combustíveis, com a retirada gradual dos subsídios.


Fonte: Angop

Em declarações à imprensa, à margem da apresentação do balanço das actividades consolidadas no sector dos derivados de petróleo, referente ao 3º trimestre de 2019, José Barroso informou que o Executivo continua a estudar um plano para a correcção dos preços, mas a decisão final ainda não foi tomada.


“Em princípio já não será em Novembro. O Executivo continua a estudar, poderá ser no final do ano ou no princípio de 2020”, disse.


Nas discussões em curso, referiu, está prevista a subsidiação de vários sectores, como agricultura e pescas.


A última actualização do preço dos combustíveis foi feita a 01 de Janeiro de 2016, com o preço a sair de AKz 115 para 160 kwanzas o litro de gasolina, enquanto o gasóleo saia de AKz 90, para 135 kwanzas.


Apesar de ser o segundo maior produtor de petróleo da África Subshariana, Angola importa 80% dos combustíveis que consome, devido à reduzida capacidade de refinação interna.


O Fundo Monetário Internacional (FMI) recomendou em 2018 o ajustamento do valor de venda de combustíveis, de modo a reflectir as mudanças nos preços internacionais e na taxa de câmbio, introduzindo um mecanismo automático de ajuste de preços.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: