Luanda - Os Bancos Comerciais só poderão permitir aos seus clientes o levantamento de avultadas somas de valores monetários mediante protecção policial ou de empresas vocacionadas para o efeito.


Fonte: Na Mira do Crime

A informação foi avançada pelo Secretário de Estado do Interior para o Asseguramento Técnico e Infraestruturas, Comissário-Chefe, Salvador José Rodrigues, quando falava na cerimónia de abertura da reunião entre a Polícia Nacional, Empresas Privadas de Segurança e Conselhos de Administração das instituições bancárias e financeiras sedeadas em Luanda.



Segundo Salvador Rodrigues, o Ministério do Interior está preocupado, também, com as empresas que asseguram as instituições bancárias, tendo em conta os últimos acontecimentos e, por este facto, tornou-se urgente auscultar os responsáveis das instituições e toda a sua envolvência para que houvesse uma concertação no sentido de diminuir as situações delituosas à saída dos bancos.?


Salvador Rodrigues avançou ainda que, deve-se capacitar melhor o pessoal de guarda das empresas de segurança no sentido de torná-los cada vez mais eficientes e eficazes, para corresponderem satisfatoriamente o sistema de segurança nas distintas instituições bancárias. ?


Fernando Gomes, gestor da empresa de segurança Skoll, disse que os assaltos no interior dos bancos é da inteira responsabilidade do pessoal da segurança, mas que não se pode assumir responsabilidade quando os clientes são assaltados fora do Banco.


Disse, também, que algumas instituições bancárias estão a retirar o sistema de pagamento às empresas, via multicaixa, o que faz com que muitos se dirijam às agências para proceder o levantamento de avultadas somas monetárias. “Ao contrário, evitar-se-ia o levantamento dessas somas e diminuía-se os assaltos”, assegurou. ?



No final do encontro, os participantes agradeceram a Polícia, pois consideram que a responsabilidade é de todos e de cada um e prometeram cooperar para que se dirime a onda de crimes dentro e à saída dos bancos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: