Benguela - A Carrinho, uma empresa da indústria alimentar baseada em Benguela, assinou sexta-feira um acordo com os CFB e o Porto do Lobito, com o qual se prevê o transporte de duas toneladas de carga por ano e um potencial de provisão global de cinco mil postos de trabalho.

Fonte: JA

O acordo prevê ainda operações a favor dos Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB) como a melhoria das infra-estruturas, aquisição de cem vagões e a expansão de um ramal ferroviário ao complexo industrial da Carrinho, uma obra que iniciou em Novembro e fica concluída num período de 60 a 90 dias.


Na assinatura do acordo, o administrador financeiro da Carrinho, Samuel Candundo, declarou que as três empresas apostam, dessa forma, na dinamização da actividade comercial na província, tendo em conta o volume de mercadorias que será movimentado.


O presidente do Conselho de Administração dos CFB, Luís Teixeira, estima que o acordo vai permitir aumentar a produção, transportação e receitas para a empresa, bem como a melhoria das condições de vida dos trabalhadores.


O presidente do Conselho de Administração do Porto Comercial do Lobito, Agostinho Felizardo, acrescentou que, com o envolvimento nesse projecto, abre-se mais uma janela e oportunidade para o crescimento e a recuperação do movimento de mercadorias.


Agostinho Felizardo adiantou que dados actuais referem que, em 2018, o Porto do Lobito movimentou 1,8 milhões de toneladas, abaixo da capacidade já alcançada no fim do período de reabilitação, de três milhões de toneladas.


O Porto conta, também, com um Terminal de Minério dotado de capacidade para movimentar 3,6 milhões de toneladas por ano.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: