Luanda - Cento e quinze dólares por metro quadrado é o novo preço médio para comercialização dos terrenos infra-estruturados localizados na centralidade do Kilamba, município de Belas, cuja pré-inscrição teve inicio nesta segunda-feira.

Fonte: Angop

Na comercialização anterior, que aconteceu em 2015, o preço médio para a comercialização de espaços na cidade do Kilamba era de USD 214/metro quadrado, valor que representa uma redução até 65 por cento, em relação ao preço anterior.

O administrador para área técnica da Empresa Gestora de Terrenos Infra-estruturados (EGTI), Tilson Gouveia, afirmou que os terrenos para uso misto regista uma redução no preço de 30 por cento, para habitação multilateral de 40 %, igual percentagem para saúde, ensino 55 % e a habitação unifamiliar com uma redução de 65 %.

O responsável, que falava na actividade de lançamento dos novos preços dos terrenos infra-estruturados, afirmou que do total de mil e 343 lotes, estarão disponíveis inicialmente para a comercialização 61 lotes.

Nessa primeira fase, o processo de vendas desses espaços vai começar nos terrenos adjacentes à centralidade do Kilamba, em Luanda, que conta com cerca de cinco mil hectares infra-estruturados.

Por sua vez, a ministra do Ordenamento e Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, explicou que o sector vai se dedicar na promoção e valorização de activos em mais de 12 províncias do país.

Para efeito, acrescentou, já foram desenvolvidos estudos e acções concretas para a comercialização de terrenos infra-estruturados a preços baixos.

Referiu que o início de vendas desses terrenos servirá também para recuperar, a curto e médio prazo, o investimento que o Estado efectuou nessas infra-estruturas urbanas.

Para além do Sequele e Kilamba, as urbanizações do Camama e Jardim de Rosa também contam com projectos de infra-estruturação, que estão em fase de conclusão.

A Empresa Gestora de Terrenos Infra-estruturados (EGTI, E.P.) é uma empresa estratégica do Estado angolano, criada em 5 de Março de 2015, por Decreto Presidencial nº 58/15. Tem como objectivo atender a necessidade de instituir uma estrutura empresarial encarregue pela administração de forma mais racional dos terrenos infra-estruturados do domínio público e privado do Estado Angolano.

A administração e a gestão criteriosa dos terrenos infra-estruturados enquanto património público que contribuem para o desenvolvimento sustentável do país, bem como garantem o bem-estar da população também faz parte da missão da EGTI, E.P.

A iniciativa visa igualmente prosseguir com os objectivos preconizados pelo Executivo angolano relativamente ao controlo e orientação da gestão dos terrenos, no âmbito da requalificação e expansão das cidades e centros rurais.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: