Lisboa - A cantora sueca Marie Fredriksson, do duo pop dos anos 1980 e 90 Roxette, morreu segunda-feira aos 61 anos, anunciou esta terça-feira a sua manager em comunicado, citado pela BBC. Fredriksson debatia-se há 17 anos com uma doença oncológica.

Fonte: Publico

Uma das vozes dos Roxette, banda de grande popularidade no início dos anos 1990 que criou temas como Joyride ou It must have been love, fazia par vocal com Per Gessle, que esta terça-feira lamentou a sua morte na rede social Twitter. “Foste a amiga mais maravilhosa ao longo de mais de 40 anos”, disse. “As coisas nunca mais serão as mesmas”. Citado na imprensa sueca, Per Gessle acrescentou ainda: “Obrigada por pintares as minhas canções a preto e branco com as mais belas cores”.

 

Num comunicado publicado pelo diário sueco Expressen, a manager Marie Dimberg informou: “É com grande tristeza que temos de anunciar que uma das nossas maiores e mais amadas artistas faleceu. Marie Fredriksson morreu na manhã de 9 de Dezembro na sequência da sua doença”, lê-se na nota.

 

Marie Fredriksson, que começou numa banda punk, era, além de vocalista, a teclista da banda. Gessle assegurava vozes e guitarra. Os Roxette começaram a ganhar popularidade no final da década de 1980, mais precisamente quando o seu álbum Look sharp!, de 1988, começou a circular no mercado internacional muito graças ao sucesso dos singles The look e Listen to your heart. Depois, Joyride, de 1991, entraria nas playlists das rádios e nos programas de videoclips, transportando a banda sueca para os palcos internacionais. Mas foi em 1990, com a música escrita por Gessle para o filme Pretty Woman, que tiveram um dos seus maiores êxitos — It must have been love já tinha sido escrita em 1987, mas a sua integração na banda sonora do filme com Julia Roberts e Richard Gere, e que foi um fenómeno em si mesmo, deu-lhe a audiência que a tornaria um êxito planetário.


Foi em 2002, após um desmaio enquanto corria, que Marie Fredriksson foi diagnosticada com um tumor cerebral. Passou por vários tratamentos, detalha o Expressen, que lhe deixaram sequelas na visão, fala e audição, mas chegou a celebrar uma fase de remissão em 2005. Os Roxette voltaram mesmo aos palcos em 2010 e lançaram o seu último álbum em 2016.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: