Luanda - O diretor da consultora EXX Africa considerou hoje à Lusa que o julgamento de "Zenu" dos Santos vai ser "escrutinado de perto" e que o Governo angolano precisa de mostrar melhorias na transparência para cumprir os critérios do FMI.

Fonte: Lusa

"O Governo de Angola precisa de mostrar progressos nos melhoramentos relativos à transparência para cumprir os critérios de parceiros como o Fundo Monetário Internacional (FMI)", disse Robert Besseling em declarações à Lusa.


Comentando o início do julgamento do filho do antigo Presidente de Angola José Eduardo dos Santos, o analista considerou que as sessões vão ser "escrutinadas de perto e vão tornar-se um baluarte para futuras acusações de corrupção".


Para o diretor desta consultora, o facto de vários membros da antiga família presidencial já terem saído de Angola torna mais importante a manutenção de "Zenu" em território angolano.


"Para manter o poder sobre a família e garantir o seu apoio, ou pelo menos evitar uma guerra aberta total, o Governo tem a noção que manter "Zenu" como 'colateral é importante para garantir a estabilidade política", concluiu o analista.



O julgamento do antigo presidente do Fundo Soberano de Angola, acusado de uma transferência irregular de 500 milhões de dólares, cerca de 452 milhões de euros, começou na segunda-feira com a intervenção do defensor oficioso de "Zenu" dos Santos, e prossegue hoje em Luanda.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: