Lisboa - Laurinda Jacinto Prazeres Monteiro Cardoso, Secretária de Estado para a Administração do Território admite em meios privados, planos de avançar, para o próximo ano, com um pedido de demissão do governo para poder voltar a dedicar-se a advocacia que é a atividade que mais aprecia. O argumento invocado, é de que a sua anterior atividade dava-lhe mais rendimentos comparando ao que aufere como membro do governo cujo salário esta a volta dos 500 mil kwanzas (inferior a USD 1000).

Fonte: Club-k.net

Prefere regressar ao exercício da   advocacia 

Recentemente, juntou um grupo de advogados para um almoço de confraternização numa quinta no Kikuxi, arredores de Luanda, que foi interpretado sinalização do seu regresso ao regresso a classe.

 

Com um vasto percurso no ramo da advocacia, Laurinda Cardoso tornou-se especialista em em Direito e Contencioso Laboral, e durante os últimos 10 anos trabalhou para os escritórios de advogados do Juiz do Tribunal Constitucional, Rui Ferreira, tornando-se também sua “testa de ferro” nos negócios com parceiros libaneses. Foi Directora Jurídica do Grupo Golfrate Holdings Angola, ligado a Arosfran.

 

Antes de ascender como secretaria de Estado do governo de João Lourenço, Laurinda Cardoso exerceu o cargo de Directora do Gabinete Jurídico do Ministério da Administração do Território. Ao mesmo tempo fundou o seu próprio escritório de advogados, “LEAD Advogados Angola” em parceria com antigas amigas da Universidade.

 

A semana passada o nome de Laurinda Cardoso foi alvo de investigação pela RTP, por causa da compra de um imóvel ao partido português CDS-PP, envolvendo uma das suas empresas do ramo imobiliário na cidade do Porto.

 

É um negócio sem aparente explicação mas absolutamente ruinoso para o CDS-PP. Há dois anos, o partido vendeu um imóvel no Porto por 157,5 mil euros, uma transação que, a valores do mercado na altura, lhe poderia ter rendido mais 200 mil euros.”, descreve a reportagem da RTP, adiantando que Laurinda Cardoso revendeu o imóvel um ano e meio depois por quatro vezes mais, arrecadando uma mais-valia de meio milhão de euros.

Tema relacionado


Secretaria de Estado ligada aos negócios de Juiz do Tribunal Supremo

  

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: