Luanda - A direcção da Cidade da China, zona comercial localizada no município de Viana, em Luanda, referiu hoje (sexta-feira) que o dinheiro falso encontrado dentro da instituição comercial pertencia ao proprietário da empresa denominada "Comida de Tai Wan".

Fonte: Angop


Em conferência de imprensa, a secretária da Cidade da China, Helena Xiang, disse que um dos funcionários da empresa em causa recebeu o valor em cash de 50 milhões de Kwanzas, numa transacção no condomínio CIF- Jardinagem, a 18 de Novembro.

 

Disse que de regresso a empresa, sita na avenida “Comandante Fidel Castro”, descobriu que o dinheiro era falso, o que fez com que se informasse a embaixada da China em Angola e se instaurasse um processo de investigação.

 

O referido montante foi guardado num contentor pertencente a empresa “Comida de Tai Wan”, enquanto se esperava pelo resultado da investigação.

 

Fez saber que enquanto decorriam as investigações, dois indivíduos de nacionalidade angolana arrombaram o contentor e se apoderaram de parte do dinheiro falso.

 

Bunga Lopes, que se encontra detido, foi apanhado a tentar colocar em circulação parte das notas falsas, ao tentar comprar uma peça de roupa no mercado informal.

 

O cidadão angolano, que prestava serviço de limpeza na Cidade da China, disse na ocasião que ele e o seu colega (em fuga) viram um cidadão chinês a guardar o dinheiro num contentor.

 

Helena Xiang indicou que neste momento continuam detidos sete chineses, incluindo o proprietário dos contentores e o presidente da Cidade da China, para prestarem esclarecimentos sobre a entrada do dinheiro falso naquele local.

 

Em Dezembro, o Serviço de Investigação Criminal (SIC) desmantelou uma rede de cidadãos de nacionalidade chinesa acusados de falsificação de moeda nacional.

 

Em posse dos detidos foram encontrados, num contentor, na Cidade da China, 50 milhões e 238 kwanzas falsos.

 

Para descoberta destas notas, o SIC contou com a colaboração da Procuradoria-Geral da República (PGR), do Serviço de Informações e Segurança do Estado (SINSE) e do comando municipal da polícia de Viana.

 

A "Cidade da China", um dos maiores complexos comerciais chineses em Luanda, criada pela empresa “Hua Dragão”, conta com 16 naves com um total de 400 lojas.

 

Fundada em 2014 por Chen Xiao Jun, a “Hua Dragão” destaca-se no ramo dos imóveis, indústria, comércio (a grosso e a retalho), importação e exportação.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: