Lisboa - “Lamento que Angola tenha escolhido este caminho. Penso que temos todos muito a perder”, disse a empresária à BBC, um dos 36 órgãos de comunicação social do consórcio de que fazem parte o Expresso e a SIC. “Há alguma coisa de errado em uma pessoa angolana ter um negócio com uma empresa estatal? Penso que não há nada de errado”, acrescentou

Fonte: Expresso/BCC

A empresária Isabel dos Santos acusa as autoridades angolanas de terem embarcado numa “caça às bruxas muito, muito seletiva”. Em entrevista à BBC, a filha do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos lamenta que “Angola tenha escolhido este caminho”, acrescentando: “Penso que temos todos muito a perder.”

 

A estação britânica é um dos 36 órgãos de comunicação social que integram o Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação na divulgação e análise dos “Luanda Leaks”. Desse consórcio, que às 18h deste domingo começou a revelar o resultado de meio ano de investigação, também fazem parte o Expresso e a SIC.

Documentos e testemunhos obtidos na investigação mostram como Isabel dos Santos desviou mais de 100 milhões de dólares da Sonangol para o Dubai. O esquema de ocultação começou a ser montado depois de a empresária ter sido nomeada pelo pai para liderar a petrolífera estatal, revelaram os dois órgãos portugueses que integram o consórcio.

 

O esquema envolveu um contrato celebrado no Reino Unido e teve a cumplicidade de vários portugueses, incluindo do atual chairman da NOS, o advogado Jorge Brito Pereira.

“NÃO SE PODE DIZER QUE PORQUE SE É A FILHA DE ALGUÉM, É-SE IMEDIATAMENTE CULPADA”


“Quando se olha para o trabalho que eu fiz e todas as empresas que construí, certamente as minhas empresas são empresas comerciais”, garantiu Isabel dos Santos à BBC. “Há alguma coisa de errado em uma pessoa angolana ter um negócio com uma empresa estatal? Penso que não há nada de errado”, disse, respondendo à própria pergunta.

 

“Não se pode dizer que porque se é a filha de alguém, é-se imediatamente culpada. E é por isso que há muito preconceito”, referiu ainda. Neste ponto, o jornalista alertou para o “cuidado” que é preciso ter quando se é “a filha de alguém” e se deixa “a porta aberta para estas acusações”.

 

Enquanto o jornalista falava, Isabel dos Santos disse seis vezes “isso não é verdade”, antes de sublinhar: “Todas as minhas empresas têm conselhos de administração extremamente bons. Temos os melhores presidentes executivos, os melhores diretores de operações. Temos os melhores responsáveis legais. Temos pessoas profissionais, com experiência, que trabalharam noutras empresas”. E repetiu: “Isso não é verdade.”

 

No excerto da entrevista disponibilizado neste link, a empresária conclui, assegurando: “Somos muito competentes, somos muito competentes.”



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: