Luanda - Três milhões e 500 mil kwanzas é o valor restituido a um cidadão, depois de um litígio com a Cooperativa Cajueiro, mediado pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC), na semana finda.

Fonte: Angop
A informação vem expressa num balanço das actividades desenvolvidas de 20 a 24 de Janeiro, no qual o INADEC indica um registo 101 infracções, 10 denúncias, três inutilizações de produtos, nove apreensões, 71 notificações e 214 reclamações, das quais 108 foram resolvidas e 106 encontram-se em fase de resolução

No documento, estão destacadas as denúncias sobre a “Creche as Quatro Irmãs Farmhouse”, em Luanda, por elevar as propinas para o nível Pré-Escolar, de 55 mil para 86 mil kwanzas, sem nenhuma justificação e aviso prévio, e contra o Centro Evangélico de Medicamentos do Lubango, na província da Huíla, por praticar a venda de medicamentos fora do prazo de validade.

No período em referência, o INADEC suspendeu três estabelecimentos comerciais por vender produtos com rótulos em línguas estrangeiras, por falta de higiene e de livro de reclamações.

Trata-se das superfícies comerciais Gou ShiI-Comércio (SU), em Luanda, A.M.M, em Cabinda, e Domingos António Joaquim Comércio Geral, no Cuanza Sul.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: