Luanda - O gabinete do Coordenador Geral da Comissão Instaladora do partido político PRA-JA Servir Angola, Abel Chivukuvuku, esclarece sobre o desembarque dos passageiros do vôo DT653 proveniente de Lisboa à Luanda, no dia 18 de Março de 2020:

Fonte: PRA-JÁ

PARTIDO DO RENASCIMENTO ANGOLANO – JUNTOS POR ANGOLA SERVIR – ANGOLA (PRA-JÁ SERVIR ANGOLA)
GABINETE DO COORDENADOR GERAL
NOTA DE ESCLARECIMENTO

O cidadão Abel Epalanga Chivukuvuku viajou no dia 17 de Março de Lisboa para Luanda no Voo da TAAG DT 653.

Chegados a Luanda todos os passageiros foram notificados pela tripulação para manterem-se nos seus assentos, enquanto decorria arranjos organizativos, e assim aconteceu.


Depois de cerca de 30 minutos a tripulação notificou a todas as mulheres gravidas e crianças a dirigirem-se a porta de saída do avião, para efeito de desembarque. Alguns minutos depois as mesmas mulheres gravidas e crianças voltaram ao avião com a informação de que deviam manter-se no avião e tomarem os seus assentos, o que aconteceu.


Alguns minutos depois a tripulação anunciou que deviam desembarcar todos os passageiros em trânsito pelo aeroporto de Luanda, e assim aconteceu. Passado algum tempo a tripulação voltou a solicitar o desembarque de todas as mulheres gravidas e crianças.


Em seguida deram entrada no avião, oficiais Superiores da Polícia Nacional e iniciaram a retirada de alguns cidadãos do avião. O cidadão Abel Epalanga Chivukuvuku manteve-se serenamente no seu assento até que um Oficial da Polícia Nacional lhe notificou que devia desembarcar, o que foi feito escrupulosamente.


Tendo já desembarcado do avião foi convidado a entrar num autocarro. No autocarro estavam cerca de uma dezena e meia de passageiros, maioritariamente, Entidades Públicas que foram levadas para área protocolar do aeroporto, onde após o preenchimento de formulários e controlo sanitário de temperatura de todos foram encaminhados para uma sala onde ficaram de quarentena provisória.


De acordo com a informação prestada pelos funcionários aeroportuários, as Entidades em causa deviam manter-se nesta sala em tempo determinado até que terminasse a reunião da Comissão Técnica do Governo que estava a deliberar sobre o assunto do desembarque de todos os passageiros.


Passado cerca de duas horas, tendo as entidades aeroportuárias constatado que havia desinformação no interior do avião foi convidado o jornalista Salú Gonçalves a se dirigir a área protocolar, acompanhado pelos funcionários aeroportuários para in-loco constatar a quarentena das entidades, tendo para o efeito dialogado com o comandante Sita, que aí se encontrava para constatar a veracidade dos factos.


Depois disso todas as entidades foram solicitadas a assinar um termo de responsabilidade, com o compromisso de respeitarem a quarentena domiciliar, o que foi feito. Todas as entidades mantiveram-se serenas por mais de 4 horas até a chegada do Secretario de Estado para Saúde Pública que solicitou um diálogo com todo grupo.


O Secretario de Estado apenas transmitiu duas mensagens:

1. Pedido de desculpas do Governo pelos desarranjos causados por essa situação extraordinária;

2. Não tendo o governo condições técnicas. organizacionais e financeiras para proceder a quarentena formal de todos os passageiros, a Comissão havia decidido por proceder a quarentena domiciliar de todos os passageiros.


Depois desta informação do Secretario de Estado, seguiu-se um pequeno diálogo de solicitação de esclarecimento que foram prontamente prestados. De seguida o Secretário de Estado deslocou-se da área protocolar ao encontro de todos outros passageiros. As entidades foram então orientadas a deixar o aeroporto e seguir para as suas residências.


Esta nota visa apenas repor a verdade dos factos, deixando claro que todas outras interpretações são pura desinformação e não correspondem de maneira nenhuma a verdade dos factos.

Luanda, 19 de Março de 2020.

O GABINETE

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: