Luanda - A petrolífera estatal angolana avisou esta terça-feira os seus trabalhadores que estão obrigados a cumprir quarentena que serão "severa e disciplinarmente" punidos caso sejam encontrados a passear na rua, segundo um comunicado de imprensa.

Fonte: Lusa

O Conselho de Administração da Sonangol constatou que alguns colaboradores abrangidos pela quarentena que vigora desde hoje devido à covid-19 "não têm cumprido a orientação de permanecer em casa, sendo vistos a circular pela cidade, bem como em lugares públicos e de lazer".


A administração da petrolífera pede, por isso, às direções da empresa esforços no sentido de controlarem as equipas, exortando-as a cumprirem as medidas de prevenção sob pena de serem responsabilizados.


A Sonangol avisa ainda que não se responsabiliza "por eventuais constrangimentos" que os colaboradores incumpridores possam vir a ter com as forças da ordem e de segurança.


Angola tem três casos confirmados de infeção com o novo coronavírus responsável pela pandemia da covid-19, que já infetou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, entre os quais um administrador da Sonangol, das quais morreram cerca de 17.000.


Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: