Nzeto - O ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, afirmou hoje, na Vila do Nzeto, província do Zaire, que o programa das transferências sociais monetárias"Kwenda" vai dinamizar a economia das comunidades beneficiárias.

Fonte: Angop

Discursando no acto central nacional do lançamento do referido projecto, o ministro destacou os efeitos positivos no comércio e nos mercados locais, frisando que o Kwenda estimulará a produção agrícola e as trocas comerciais nas zonas rurais do país.

 

O responsável anteviu melhoria substancial da vida da população angolana, quando os resultados deste programa forem associados aos do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) em curso nas 164 circunscrições do país.

 

Referiu-se a forte componente de inserção dos beneficiários em actividades produtivas e geradoras de rendimentos, frisando que os 25 mil kwanzas a serem atribuídos trimestralmente às famílias vulneráveis, durante um ano, permitirão a sua inserção em acções produtivas e rentáveis.

 

Lembrou que o Ministério da Agricultura e Pescas e o Fundo de Desenvolvimento Agrário são as entidades responsáveis pela efectivação do Kwenda, devendo garantir o fornecimento dos factores de produção como sementes, fertilizantes, a preparação de solos e a assistência técnica, visando o aumento da produção e produtividade das famílias camponesas.

 

Apelou aos beneficiários a utilizar convenientemente os valores a receber, alertando que este projecto é temporário, pelo que deverão empregar o dinheiro para a criação de pequenas fontes de renda, de modo a se tornarem autónomos financeiramente.

 

A nível do Nzeto, onde foi oficialmente lançado, o projecto vai beneficiar mil e 700 pessoas vulneráveis cadastradas previamente. Um milhão e 608 famílias de todo o país serão abrangidas neste plano, que conta com um financiamento global de USD 420 milhões, sendo 320 milhões atribuídos pelo Banco Mundial e os restantes 100 milhões pelo Executivo angolano.

 

Na mensagem de boas vindas, o governador do Zaire, pedro Makita Armando Júlia, agradeceu a escolha da província para este acto, tendo enaltecido o empenho do Executivo na busca de soluções aos múltiplos problema que afligem os cidadãos angolanos.

 

Testemunharam o lançamento, entre outras, entidades do Executivo angolano, representantes do sistema das Nações Unidas, Banco Mundial, Unicef e Banco Africano de Desenvolvimento.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: