Luanda - Vai ser julgado a partir da próxima segunda-feira, 8/06, na 6ª Secção dos Crimes Comuns do Tribunal Provincial de Luanda, o cidadão Flávio Pascoal Tavares também conhecido como “Pula Pula”, que é tido como um dos mais temidos marginais do Cazenga por realizar assassinatos nos arredores deste município.

Fonte:O Decreto

Temido por realizar assassinatos em Luanda 

Segundo fontes proximas à PGR, pesa contra Pula Pula, diversos crimes e desconfia-se que está por detras dele vários tubarões que podem ser desvendados nos próximos dias.

 

Nascido no bairro Cazenga, “Pula Pula” cresceu e notabilizou-se no Bairro da Madeira, Frescangol, localidade onde fez a sua carreira criminal.

 

Por dominar o mundo do crime, o Serviço de Investigação Criminal ao tempo do comandante Eugénio Alexandre mobilizou-o para integrar a equipa de execução da Esquadra do IFA “Comando de Divisão do Cazenga”.

 

Sabe-se que aos olhos do público, “Pula-Pula” tornou-se conhecido depois de o jornalista Rafael Marques de Morais ter produzido um denominado relatório “O Campo da morte”, sobre as execuções sumarias nos municípios de Viana e Cacuaco, em que este marginal é citado pelas famílias das vitimas como o homem que mais jovens inocente executou nestas localidades de Luanda.

 

Depois da denuncia de Rafael Marques, a PGR (Procuradoria-Geral da República) formou uma comissão de inquérito para averiguar os factos e retirar conclusões. Pula-Pula figurava com triste destaque no referido relatório como um dos mais temíveis executores do SIC.

 

Pula Pula veio a ser solto num pedido de Habeas Corpus interposto pela equipa do seu advogado.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: