Johanesburgo - O Presidente da República, João Lourenço, trouxe para a esfera do seu executivo,  um imigrante angolano que após a queda do regime do apartheid na África do Sul,  foi convidado  pelo governo de Nelson Mandela para presidir o grupo que reformou o sector mineiro deste país,  no pós-apartheid.

Fonte: Club-k.net

Especialista  que ajudou a reformar o sistema mineiro da África do Sul 

Trata-se de Jacinto Ferreira dos Santos Rocha,  recém nomeado Presidente do Conselho de Administração da nova Agência Nacional de Recursos Minerais de Angola.


Nascido em Angola, Jacinto Ferreira dos Santos Rocha,  é filho de um nacionalista que durante ao guerra de libertação nacional,  foi preso  no leste de Angola,  e mais tarde  solto por orientação de Agostinho Neto após uma interpelação de “Dino Matross”. Com a prisão do nacionalista, Jacinto e os seus três irmão   perderam o rasto do pai, na zona leste, até que o mano  mais velho “Nelito” Rocha tomou a decisão de seguir uma caravana de refugiados que entrou em território namibiano, quando  este país ainda se encontrava sob domínio do regime do Apartheid.


Na Namíbia,  ficaram  sem o contacto do pai  como o da mãe,  em Angola. Enquanto o irmão “Nelito” trabalhava,  Jacinto estava a estudar até ter conseguido  uma bolsa de estudos,  nos finais dos anos 80,  para os Estados Unidos da América, onde se licenciou em Geologia pelo Gustavus Adolphus College, no Estado de Minnesota. Para além de estudar geologia, fez no mesmo período uma segunda licenciatura em Ciências Políticas pela mesma instituição. Foi considerado o melhor estudante do  Gustavus Adolphus College


Apos concluir as duas licenciaturas em 1993, Jacinto Rocha  já não voltou para a Namíbia - porque esteve país não estava a dar documentos de residência para angolanos -  mas para a África do Sul,  onde os irmãos e a esposa  acabaram por se transferir depois da queda do regime do apartheid.


Ao chegar em terras de Mandela, começou a trabalhar como pesquisador do centro de politicas mineirais, até ser indicado  para  presidir o Grupo Técnico que redigiu a Política Mineira Sul Africana  no  pós-apartheid tal como o respectivo Código Mineiro, na vigência do governo de Nelson Mandela.


Não tardou muito, Jacinto Ferreira dos Santos Rocha, acabou nomeado para o cargo de diretor dos Direitos Mineiros do Ministério da Energia e Minas da África do Sul. A sua superior hierárquica era a ministra Phumzile Mlambo-Ngcuka, que dois anos após a nomeação Jacinto Rocha, se tornou na Vice-Presidente do Governo de Thabo Mvuyelwa Mbeki.


Com a promoção da sua antiga chefe para o cargo de Vice-Presidente da República da África do Sul, o angolano Jacinto Rocha ter-se-á se tornado assessor no gabinete de Phumzile Mlambo-Ngcuka. O governo de Mbeki, fez dele Presidente (não executivo) do Conselho de Administração da Agência Sul Africana dos Petróleos, cargo que acumulou com as funções de Director-geral Adjunto do Ministério de Energia e Minas deste mesmo país. Era na hierarquia,  a quarta figura do ministério naquele período de 2005 á 2010.


Jacinto Ferreira dos Santos Rocha deixou de ter funções executivas no aparelho de Estado sul africano, quando o  grupo liderado por Thabo Mbeki, foi afastado do poder pelo ANC  e,  substituído por Jacob Zuma. Com o novo cenário, Rocha retomou a academia  em 2007, para fazer uma terceira licenciatura em direito pela principal Universidade do país, UNISA-University of South Africa, por onde também passaram angolanos como o político Abel Chivukuvuku, ou o  juiz  Yuri Torres Vieira Dias Cunha, e outros.


Tornou-se advogado, concluiu um mestrado em Administração de Negócios (MBA), pela Universidade do Cabo, uma pós-graduação em Engenharia de Minas pela Universidade de Witwatersrand, e presentemente encontra-se a concluir um doutoramento em Direito pela Universidade de Pretória. Durante os últimos oito anos,  esteve como consultor do Ministro sul africano dos transportes, no  período de  2012-2013  e,  logo a seguir   exerceu as mesmas funções, por igual período, junto ao gabinete do Ministro sul africano da Energia.


Descoberto pelo Governo de Angola


Segundo apurou o Club-K, Jacinto Rocha, foi descoberto pelas autoridades angolanas quando o então PCA da Ferrangola, Diamantino Pedro Azevedo, em missão de serviço   na  Tanzania, cruzaram-se  numa conferência de especialistas do sector mineiro. Diamantino Azevedo não só o descobriu como também o reconheceu como seu antigo colega, do ensino primário em Angola. Fê-lo, inicialmente como seu consultor externo, até chegar o ano de 2018, que passou a Consultor junto ao gabinete do Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás.


Há poucas semanas, Diamantino Pedro Azevedo,  já como ministro dos Recursos Minerais e Petróleos convenceu o Presidente João Lourenço,  que Jacinto Ferreira dos Santos Rocha,  é a figura que reune  experiência profissional e governamental para Presidir a nova Agência Nacional de Recursos Minerais.




DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: