Lisboa – Inspirada no modelo da Coreia do Norte, a metodologia de gestão comunicacional adoptada pela assessoria de imprensa do palácio presidencial, é dada como tendo colocado a Primeira Dama Ana Dias Afonso Lourenço, numa situação constrangedora, ao pó-la a fazer promessas    junto a Associação dos Amigos Seropositivos (AAS), cujo desfecho/ desenvolvimento  se desconhecem. 

Fonte: Club-k.net

Incumprimento de doações de cestas básicas

No passado dia 13 de Maio, a assessoria de imprensa do palácio, fez circular uma nota dando conta que a Primeira Dama da República, Ana Dias Lourenço, e a seguradora Sanlam/Saham Angola, decidiram naquele, num encontro online, doar 1.000 (mil) cestas básicas para apoiar mulheres grávidas e crianças, que vivem com VIH durante a pandemia do Covid-19.

 

As partes não citaram a data em que as doações seriam feitas. Porém, passado um mês, a assessoria de impressa não voltou a dar seguimento do assunto ficando-se por saber se as promessas anunciadas em nome da Primeira-dama foram ou não cumpridas.

 

O não seguimento do assunto levou a ONUSIDA a anunciar como certa, na edição de 19 de Junho, no seu portal, as promessas anunciadas, em nome da Primeira-dama por via de  um  artigo intitulado: Epidemia COVID-19: ONUSIDA apoia luta contra a insegurança alimentar em Angola

 

Segundo apurou o Club-K, a estratégia do encontro online, envolvendo a Primeira Dama, surgiu para dar resposta ao portal “África Inteligence” que anunciava que Ana Dias Lourenço estaria adoentada na capital francesa.

 

Em situação normal, a presidência angolana teria feito um comunicado ou nota de imprensa desmentido a informação. Mas neste caso, Luís Fernando, o Secretário para os Assuntos de Comunicação Institucional e Imprensa do palácio, recorreu ao modelo comunista Coreia do Norte optando por difundir pela TPA imagens da Primeira dama e da ministra de Estado, Carolina Cerqueira anunciando que ambas estariam a traçar estratégias de combate ao Covid-19.

 

 

Nas redes sócias surgiram varias criticas a Luís Fernando, uma vez que as imagens divulgadas não esclareciam o estado da primeira dama, nem tão pouco se andou ou não ausente do país.

 

Ao notar que os internautas, colocavam em causa as imagens, a assessoria de imprensa enveredou por uma “segunda estratégia” criando uma reunião “on-line” em que participaram do encontro a Directora Geral da Associação dos Amigos Seropositivos (AAS), e Embaixadora da Campanha Nascer Livre para Brilhar, Carolina Pinto, e os representantes da seguradora Sanlam/Saham Angola.

 

Foi nesta reunião que serviu de “prova de vida” da Primeira-dama que a assessoria de imprensa fez o anuncio da decisão das doações e o seu respectivo incumprimento deixando Ana Dias Lourenço numa situação constrangedora.

 

Tema relacionado

Primeira Dama faz “live” para abordar cesta básica para mulheres grávidas

 

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: