Luanda - A UNITA, principal partido da oposição em Angola, apelou ao Governo nesta quinta-feira, 25, que admita que o país já entrou na fase comunitária de transmissão da Covid-19 “como sinal de alerta à população para a seriedade que o assunto encerra”.

Fonte: VOA

Aquele partido ressalva que não pretende provocar pânico, mas alertar para a necessidade da população “cerrar fileiras em torno das medidas preconizadas para combater a doença”.

 

O apelo foi lançado pelo deputado e vice-presidente da bancada parlamentar da UNITA, Maurilio Luyele, depois de as autoridades sanitárias terem reconhecido que o número de pessoas contagiadas pela Covid-19 , “sem origem identificada”, subiu de nove para 15, com o registo de mais seis infectados ontem em Luanda.

 

Em conversa com a VOA, o dirigente da UNITA defendeu que continuar a esconder os fatos só serve para levar a população ao relaxamento das medidas preventivas.

 

O também especialista em saúde pública afirmou não haver dúvidas quanto à transmissão do vírus entre angolanos que não tiveram contactos com pessoas provenientes do exterior do país.

 

“Estas ginásticas que o Governo faz para admitir não têm qualquer sentido, admitir é simplesmente aceitar a realidade dos fatos”, disse.

 

Por seu lado, o pediatra David Bernardino também defende que sempre que a transmissão acontece entre cidadãos, que não tenham saído do país, “a transmissão é já comunitária”.

 

Em breves declarações à VOA, aquele especialista considera ser “esta a situação que está a ocorrer atualmente em Angola”.

 

O médico aconselha o Governo a anunciar à sociedade a real situação da contaminação no país e a “reforçar as medidas que cada cidadão deve tomar para evitar o alastramento da doença”.

 

O Governo entende, entretanto, que “os 15 casos, sem a identificação do vínculo epidemiológico devem contar como sendo de “transmissão local, enquanto durarem os estudos para apurar os vetores da transmissão”, segundo o secretário para a Saúde Pública.

 

Franco Mufinda Mufinda disse que o país registou até ontem 197 casos positivos, sendo 110 ativos, 77 recuperados e 10 óbitos.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: