Luanda - O governo angolano criou uma Unidade de Informação Financeira, tutelada pelo ministro do Interior, para monitorizar e combater operações suspeitas de branqueamentos de capitais e financiamento de terrorismo.


Fonte: Lusa


Esta unidade vai ainda recolher e centralizar toda a informação conexa com os crimes previstos na sua orgânica, como indica o Executivo angolano, que aprovou esta estrutura em Conselho de Ministros.

 

A tutela deste novo órgão, que é o Ministério do Interior, vai trabalhar em estreita colaboração com organismos com competência nos domínios da justiça, fiscal, bancário, diplomático e administrativo.

 

Este novo mecanismo surge depois de o governo norte-americano ter renovado as suspeitas de que cidadãos libaneses com participações em importantes empresas de distribuição angolanas estarem envolvidos no financiamento do movimento Hezbollah libanês.


A Unidade de Informação Financeira surge ainda com a advertência do FMI para a necessidade de o governo angolano se esforçar mais para garantir a transparência das contas públicas no âmbito do acordo "stand-by", que permitirá a Luanda receber, em tranches, um empréstimo de cerca de 1,32 mil milhões de dólares (965 milhões de euros).

 

O recado do FMI foi dado esta semana no momento em que aprovava um novo desembolso de mais de 178 milhões de dólares (130 milhões de euros), atingindo já os 1,07 mil milhões (782 milhões de euros) no total do acordo assinado em finais de 2009 com o objectivo de equilibrar a balança de pagamentos angolana.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: