"Angola em primeiro lugar e não a política"

Direitos Humanos (principalmente o direito à vida) Liberdade e Democracia; Justiça Social.

Os princípios acima referidos foram e serão sempre os princípios que guiam a nossa família. A nossa exigência pelos mesmos custou-nos caro, talvez mais do que qualquer outra família na história de Angola.  A minha decisão de deixar a UNITA nessa altura do processo político Angolano, é para que a Unita e a minha família amigavelmente abram um novo caminho pacífico e de respeito mútuo e terminar um casamento horrível sem uma luz iluminação no fundo do túnel.

Tive que reflectir (sobre) quando seria o tempo oportuno para fazer este pronunciamento (:) antes, durante ou após o período da campanha eleitoral. Se o tivesse feito através da primeira opção, teria que enfrentar acusações de ajudar as causas do MPLA. Se decidisse depois da vitória da UNITA teria de enfrentar conquistas para continuar trabalhar com a UNITA em que já não acredito e por isso seria considerado como um oportunista. Por outro lado ter feito este pronunciamento depois da vitória do MPLA iria ser  acusado de abandonar um barco afundado. Como politico esforcei-me para escolher o momento mais oportuno para a história e para mim próprio e no fundo, há muito optei por esta data como sendo a ideal.

Hoje o período da campanha eleitoral já terminou, evitei que o meu nome fosse utilizado de maneira que criasse instabilidade durante o período da campanha. Sua Excelência Presidente da Republica de Angola solicitou para que a campanha eleitoral fosse pacífica e madura, e como cidadão obediente, acredito que esta data esta dentro desse espírito de não ressuscitar os fantasmas do passado. Eu não sou um político de peso que pode influenciar os resultados das eleições.

O voto é secreto e acredito que hoje em dia, os Angolanos estão maduros para darem o voto para o Partido que eles acham que servirá os interesses desse Povo martirizado e dessa nossa bela Nação.Não tenho dúvidas na minha apreciação dos factos de que a liderança do Presidente José Eduardo dos Santos é o único factor que trouxe a paz para Angola. Acredito também que o Dr Samakuva como líder da UNITA, ser um factor recíproco que complementou e contribuiu para um ambiente de paz na convivência comum de hoje no nosso pais. Agradeço ao Presidente da Republica de Angola por ter me concedido a oportunidade de participar no seu Governo para eu provar a minha capacidade como gestor e ao mesmo tempo agradeço ao Sr Isaías Samakuva, presidente da UNITA por ter aceite a minha proposta de avançar o meu nome como candidato á nomeação ministerial contra os desejos de muitos que não queriam que me dessem esta oportunidade e que certamente ficaram furiosos depois de descobrirem que o meu nome foi enviado secretamente como primeira opção para Ministro.

O meu apelo pessoal vai para a todos os angolanos, para irem ao voto e mostrar ao Mundo o verdadeiro coração dos angolanos e fazerem do dia 5 de Setembro um dia memorável para os angolanos e as gerações vindouras. Este dia será registado na história como o renascimento da Africa e o despertar de um dos gigantes do mundo. Continuarei a trabalhar com os princípios fundamentais para contribuir positivamente no desenvolvimento económico e social de Angola. Colocar sempre Angola em primeiro lugar e não a política.


O dia 5 de Setembro abrirá um novo capítulo de esperança e prosperidade para todos. Para mim e a minha família será um novo começo duma vida sem dores do passado.

Viva Angola!
 Viva a Paz!
 Viva o Povo Angolano!
 Viva as eleições e a Nova era da Democracia!
Luanda 4 de Setembro 2008
Eduardo JS Chingunji "Dinho"

Minister
Hotels & Tourism,
Republic of Angola

Fonte: Eduardo Chingunji



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: