O inquérito preliminar, aberto em Julho pela procuradoria parisiense, foi arquivado "no início de Setembro, dado que a infracção não estava suficientemente detalhada" na queixa apresentada, afirmou à agência francesa AFP uma fonte judicial.

William Bourdon, advogado da Transparency International France, afirmou que o arquivamento já era esperado, e que uma nova queixa civil será apresentada em breve, conforme a permite a lei francesa.

Além de José Eduardo dos Santos, a queixa visava Denis Sassou Nguesso (Congo), Omar Bongo, Teodoro Obiang (Guiné Equatorial) e Blaise Compaoré (Burkina Faso), além de membros dos seus círculos, todos acusados de comprar imóveis e outros bens em França com dinheiro desviado do erário público dos seus países.

Em Março de 2007, três associações francesas apresentaram uma queixa semelhante, que levou à abertura de um inquérito preliminar, também arquivado alguns meses mais tarde.

De acordo com o diário francês Le Monde, o inquérito permitiu apurar que Omar Bongo e seus familiares eram proprietários de 33 apartamentos ou moradias de luxo em França, e que Denis Sassou Nguesso tinha pelo menos três moradias de grande dimensão em Paris.

Fonte: NL



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: