Luanda - O ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, afirmou que diante das denúncias do presidente do Recreativo da Caála e que preocupam o país deve haver serenidade de toda família de futebol e isntou a Federação da modalidade para despoletar o mecanismos legais e estatutários necessários para apuramento dos factos.

Fonte: Angop

De acordo com a nota de imprensa assinada pelo titular dos Desportos em Angola, sublinha-se que as declarações de Horácio Mosquito na terça-feira sobre as irregularidades que ocorrem no Campeonato Nacional de Futebol, também denominado por Girabola, têm de ser apurados e depois responsabilizar criminal e/ou disciplinarmente os prevaricadores.

 

"Estas denúncias ocorrem numa ocasião em que a família do futebol se encontra engajada na preparação da Conferência Nacional do Futebol, a realizar-se nos próximos dias 25, 26 e 27 de Junho, cujos objectivos são, de entre outros, a elaboração do Plano Nacional de Desenvolvimento do Futebol, Plano esse que deve conduzir a modalidade a alcançar melhores resultados a todos os níveis", ressalta o documento.

 

Gonçalves Muandumba refere igualmente que a realização deste evento é antecedida de encontros de auscultação dos adeptos, atletas, dirigentes, árbitros, jornalistas desportivos e outros, criando-se assim oportunidades para apresentação e discussão dos problemas existentes no futebol, em todas as suas dimensões.

 

Terça-feira Horácio Mosquito denunciou à imprensa a existências de corrupção no futebol angolano, assegurando ter já enviado documento com respectivos nomes dos acusados junto à Procuradoria-Geral da República (PGR) e outras instituições, indicando que fazem parte da lista alguns dirigentes desportivos, árbitros, comissários aos jogos, atletas, treinadores, jornalistas e membros da Federação Angolana de Futebol (FAF).



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: