Luanda - Hoje, o Grupo Parlamentar da UNITA queria aproveitar a sessão plenária para pedir a todos os deputados um voto de saudação ao Dia Mundial de Luta contra a SIDA que foi inviabilizado pela bancada do MPLA.

Fonte: Club-k.net


Para vosso conhecimento apresento o texto cuja leitura não foi permitida:

"Excelência,
Sr. Presidente da Assembleia Nacional,
Ilustres colegas,
Minhas senhoras e meus senhores:


Usando da prorrogativa que o artigo 132º do Regimento da Assembleia Nacional nos confere, o Grupo Parlamentar da UNITA propõe um voto de saudação ao Dia Mundial de luta contra a SIDA que decorreu no passado dia 1 de Dezembro.


De acordo com a OMS, no fim do ano passado, o Mundo tinha cerca de 38 milhões de pessoas infectadas com o VIH, Das quais só 80% sabiam que o eram, pois tinham sido testadas.

Em Angola, para 2018, foi estimada a existência de cerca de 300.000 pessoas vivendo com a infecção HIV, das quais apenas 70% sabiam do seu estado serológico.


Falando do tratamento, dos cerca de 38 milhões de pessoas infectadas em todo o Mundo, apenas 62% recebiam tratamento, Ou seja, em 2018, ao nível mundial, quase 40% das pessoas HIV positivas não estavam a beneficiar da terapêutica anti-retroviral.


Para o caso de Angola, dos cerca de 300.000 angolanos presumivelmente seropositivos, apenas 75.000 estão a ser tratados com anti-retrovirais, o que dá pouco mais de 24%.

Isso significa que estamos a tratar menos os nossos pacientes HIV positivos, pois 75% dos nossos compatriotas seropositivos não estão a ser tratados.

Sr. Presidente,

Nesta sessão plenária, o grupo parlamentar da UNITA submete a esta magna assembleia a aprovação de um voto de saudação ao Dia Mundial da SIDA, tal como permite o Regimento Interno da Assembleia Nacional.


Que os governos de todo o Mundo aumentem o seu empenho político na luta contra esta pandemia.

Que os angolanos prestem mais atenção a esta doença.

Que em cada ano se reduza o número de pacientes seropositivos no nosso país.

Muito obrigado."

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: