Lisboa - O antigo comandante-geral da Polícia Nacional, Comissário Alfredo Eduardo Manuel Mingas “Panda”, fez parte  de um grupo oficiais generais/policias que estiveram durante nove meses (desde Fevereiro de 2019),   a frequentar um curso de Estado Maior na Escola Superior de Guerra, em Luanda.  Dentre os estudantes, “Panda”  saiu entre os quatro melhores da escola ao passar com distinção o curso de estratégia e arte operativa. 

Fonte: Club-k.net

Para além do comissário “Panda”, e entre outros, esteve  também a frequentar o mesmo curso, um antigo Director Adjunto do Serviço de Inteligência Externa (2003 a 2006), Coronel Miguel Francisco André.

 

Ao total foram 270 oficiais  que concluíram a formação que contou com  instrutores russos, portugueses e brasileiros  que se deslocaram a Angola para o efeito.

 

A inclusão nesta formação de quadros que no passado foram marginalizados ou afastados em circunstâncias anormais é interpretada como estando a obedecer cálculos para uma eventual reabilitação dos visados no aparelho de Estado.  A titulo de exemplo, o comissário Alfredo “Panda” foi chamado, nesta  segunda-feira (30),  para integrar a caravana do Presidente da República, João Lourenço, que   inaugurou, em Luanda, o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP). 

 

Há cerca de dois meses, o nome do coronel Miguel André foi citado, em meios do poder político, em Luanda, como estando na linha de sucessão para regressar e  chefiar o Serviço de Inteligência Externa, em substituição do  general José Luís Caetano Higino de Sousa "Zé Grande", que  por sua vez passaria para ministro da Defesa. As nomeações no aparelho de Defesa e Segurança – que culminaria também com a indicação de um novo CEMGFAA - foram proteladas para o ano de 2020.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: