Luanda - O Presidente da República João Manuel Gonçalves Lourenço, por conveniência de serviços e necessidade de conformação da composição à nova orgânica exonerou e nomeou ontem, 06 de Abril, “novos” membros para o seu executivo.

Fonte: Club-k.net

Esta atitude do executivo num momento delicado para o mundo e para o povo angolano em particular está a ser vista como “irresponsável” pela população com alguma capacidade de análise e leitura social contextual. A famosa “dança das cadeiras” mais uma vez trouxe capítulos emocionais deixando analistas das redes sociais incrédulos e muitos mesmo, pasmos, diga-se de passagem, desde o renascer e inserção de um ex-arguido eloquente ao sangue novo conjugado no feminino num Abril que não é mulher.

 

Num momento em que o mundo enfrenta uma caótica situação por causa da pandemia do Covid 19 e que, segundo dados fornecidos pelo Ministério da Saúde, Angola registou nos últimos dias novos casos sendo até ao momento 10 activos, tendo registado duas mortes e duas recuperações.

 

Enquanto o mundo debate-se com a pandemia, a vida política de um país, obviamente, não pode parar. Mas a questão que se coloca é a seguinte: Será que foi o momento ideal para anunciarem esta curta-metragem política, já que maior parte dos actores são já conhecidos do povo? Ou a intenção está a ser a ocultação de factos que estejam ligados ao desenvolvimento da pandemia do Covid 19 no nosso território nacional e assim acalmar um pouco a conversa? Não auguramos de maneira alguma a segunda hipótese. Só que o nosso gato já está tão habituado com água quente que não importa de que direcção vem a fria. Agora tudo está a dar medo.

 

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: