Luanda - O bairro Hoji-Ya-Henda, no município do Cazenga, em Luanda, encontra-se, a partir desta segunda-feira, sob vigilância epidemiológica reforçada, com a implementação de uma cerca sanitária.

Fonte: Angop

O bairro foi submetido a uma cerca sanitária devido aos cinco casos de transmissão local da covid-19, diagnosticados pelas autoridades sanitárias.

 

Segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, a cerca sanitária abrange mais de três mil pessoas e os moradores foram obrigados a cumprir a quarentena institucional nos centros do Calumbro 1 e 2, bem como numa das unidades hoteleiras de Luanda.

 

O dirigente, que fazia a habitual actualização dos dados sobre a covid-19, sustentou que as autoridades sanitárias foram obrigadas a reforçar a capacidade de vigilância epidemiológica nessa circunscrição, face ao aumento do contágio local, provocado pelo “caso 31”.

O “caso 31” tem a ver com um cidadão da Guiné Conakry, de 36 anos, comerciante e residente no Hoji-Ya-Henda, que veio de Portugal no voo DT-653, de 17 de Março de 2020, e não obedeceu à quarentena domiciliar.

Para além desse, existe o “caso 26”, que já infectou 13 pessoas, sendo a maior parte membros da sua família.

Em virtude do “caso 26”, o distrito urbano do Futungo, município de Talatona, e o bairro Cassenda, distrito da Maianga, em Luanda, estão, desde terça-feira da semana passada, em cerca sanitária extraordinária, para conter a propagação da contaminação local.

O “caso 26” envolve um cidadão angolano que veio de Portugal no dia 18 de Março, mas não cumpriu a quarentena domiciliar.

Aumento da capacidade de testagem

Franco Mufinda anunciou que o sector da Saúde já começou a utilizar testes de Genexpert compatível à covid-19.

Nesse contexto, disse, o Instituto Nacional de Investigação em Saúde (INIS) passou a ter dois laboratórios para a testagem, com a instalação de mais um aparelho com capacidade para processar 16 amostras em 45 minutos.

Para além do novo laboratório instalado no INIS, assegurou que, até quarta-feira (13), o Hospital Esperança também vai beneficiar de mais um aparelho, perfazendo um total de dois laboratórios com a mesma capacidade (16 amostras em 45 minutos).

O terceiro ponto para a testagem, com base na Genexpert, será o Hospital Sanatório de Luanda.

Amostras testadas

Os actuais três laboratórios em funcionamento em Luanda receberam cinco mil e 704 amostras, das quais cinco mil e 354 testaram negativo e 45 positivo. Estão, neste momento, 305 em processamento laboratorial.

Até à presente data, o país tem 825 cidadãos suspeitos e investigados, enquanto mil e 107 casos estão sob vigilância epidemiológica.

As autoridades sanitárias controlam 906 pessoas em quarentena institucional. Foram dadas altas a 233 cidadãos, dos quais 21 no Cuanza Norte, 16 no Huambo e 195 em Luanda.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) registou, nas últimas 24 horas, 102 chamadas relacionadas com pedidos de informação sobre a pandemia, ainda de acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública.

Angola regista 45 casos positivos, dos quais duas mortes, 30 doentes activos (clinicamente estáveis) e 13 recuperados.

Tem 18 casos de transmissão local, sem registo, até ao momento, de contaminação comunitária.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: