Luanda - O Bureau Político do MPLA considerou hoje, quinta-feira, numa mensagem de condolências, o Bispo Emérito de Benguela, Dom Óscar Braga, verdadeiro cultor do bem-estar das famílias angolanas.

Fonte: Angop

No documento, a que Angop teve acesso, o MPLA destaca a figura do prelado, falecido terça-feira, por doença, sobretudo por se ter notabilizado como criador de instituições de ensino e movimentos pastorais cultores da cidadania participativa.

 

O Bureau Político realça que Dom Óscar Braga teve uma vida repleta de lições de honestidade e intelectualidade, mansidão e altruísmo, inspirando várias gerações de angolanos que, no dia-a-dia, reflectem sobre as manifestações práticas da filosofia de vida do malogrado.

 

Pelas suas qualidades, o MPLA considera que Angola e a Igreja Católica, em particular, perderam uma das suas mais proeminentes personalidades, deixando um legado recheado de bons exemplos inerentes à dimensão da sua estatura intelectual, patriótica, religiosa e humana.

 

Pelo infausto acontecimento, o partido no poder inclina-se perante a memória do Bispo Dom Óscar Braga e endereça à Igreja Católica e à família enlutada as mais sentidas condolências.

Perfil

Óscar Lino Lopes Fernandes Braga nasceu em Malanje, a 30 de Setembro de 1931.

 

Entrou para o seminário já com o ensino superior e ordenou-se padre em 1964, sendo que, 10 anos depois, foi ordenado Bispo, em Malanje.

 

Em 1975, assumiu a Diocese de Benguela até 2008, altura em que foi substituído por Dom Eugénio Dal Corso.

 

Nos seus 33 anos de missão episcopal, saíram três bispos da Diocese de Benguela: José Nambi, Mário Lukundi e Emílio Sumbelelo.

 

Dom Óscar Braga, que ordenou mais de 300 padres, foi o fundador, em 1995, da Promoção da Mulher Angolana na Igreja Católica (Promaica) e do Movimento do Escutismo em Angola.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: