Luanda - Daniel Pereira, Natural do Município do Golungo Alto, Província do Cuanza Norte, Jurista de formação, Docente Universitário e membro do Comité Nacional da JURA, Presidente do Fórum angolano dos Docentes Universitários, foi Mandatário Adjunto da Candidatura de Alcides Sakala Simões, Ex. Candidato à Presidência da UNITA, cuadjuvando a Deputada Clarice Mukinda, viúva do Engenheiro Salupeto Pena, é o jovem melhor referenciado nos mais variados e diversos círculos juvenis e não só, para liderar uma candidatura da JURA, à eleição do Presidente do CNJ.

Fonte: Club-k.net

Aliança e casamento com o adversário dificultam Candidato

Apesar de não ter apoiado Adalberto Costa Júnior, eleito no último Congresso, o Jovem gosa de uma grande simpatia do Presidente do Galo Negro.


Nas lides políticas é descrito como um jovem muito moderado, de trato fácil, articulado e com propensão para a busca de consensos, ao contrário das lides acadêmicas, onde é referenciado como bastante crítico e frontal.


A sua forte aproximação com a Sociedade Civil pode ser uma das principais armas da candidatura, caso seja caucionada pela direcção da organização de que é membro.

Todavia factores estruturais como:


O modelo das eleições, maioria absoluta das organizações membros liderados e constituidas por militantes da JMPLA, manobras eleitorais, entre representantes das organizações juvenis dos partidos políticos, vícios, incluindo apoios e conluios estranhos da própria JURA com o provável candidato da JMPLA, podem travar as pretensões do jovem promissor, Daniel Pereira, de sentar-se no cadeirão maior do e promover as reformas que se impõem no CNJ.

Segundo fontes próximas ao também acessor da Bancada Parlamentar da UNITA, uma das bandeiras da sua campanha é a despartidarização do CNJ e o combate a troca de favores, entre as organização juvenis filiadas naquela instituição de utilidade pública.

Desvios de finalidade e apoios da JURA, JFNLA JPRS e JPA em candidatos da JMPLA, em troca de benesses para um grupo bem restrito de dirigentes dessas organizações, devem ter o seu fim, segundo o cogitado candidato, que considera a relação estranha entre adversários como casamento com o "diabo".

O Presidente do Conselho Provincial da Juventude de Luanda, Isais Kalunga é tido como o candidato favorito, porque tem apoio das organizações citadas, factos que têm estado a levantar varias especulações e apontados como dos possíveis impasses para a eleição do pretendente da mocidade do Galo Negro.

Segundo fontes bem informadas, na última reunião do Comitê Nacional da JURA, que decorreu no Complexo do Sovsmo, Agostinho Kamuango, Secretário Geral da organização, demonstrou claramente não apoiar a iniciativa do seu co-dirigente , tendo-o mesmo aconselhado a ir a buscar apoios de uma forma isolada, embora a iniciativa tenha sido bastante aplaudida pelos restantes presentes na reunião.

É estranho que o líder máximo da JURA demarca-se das intenções de um brilhante membro, com ideias reformadoras e crítico ao status quos, para apoiar o candidato da JMPLA, que em certos círculos é visto como alguém que não representa os interesses da Juventude angolana, mas apenas dos líderes das organizações juvenis partidos políticos filiados no CNJ.

Jovens ouvidos à respeito, Foram unânimes em dizer que, com um candidato como o Daniel Pereira, reformador e conciliador, o CNJ seria transformada e a JURA teria muitos ganhos políticos.

Adalberto Costa Júnior, Presidente da UNITA, tem apelado para a necessidade várias reformas ao nível das instituições do Estado e constitucionais, entre elas nos Tribunais e na CNE.

Porém a postura de Agostinho Kamuango parece remar em sentido contrário.

Por: Adão Ramos ado.ramos7@gm

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: