Luanda - O Bureau Político do Comité Central do MPLA considerou hoje, quinta-feira, irreparável, a morte do general na reforma, ex-preso político e Veterano da Pátria, David Queiróz Bernardo "Kinjinji", ocorrida no dia 10 do corrente mês, em Luanda, por doença.

Fonte: Angop


Na mensagem de condolências do Bureau Político do MPLA, chegada à Angop, expressa-se que o falecimento do general Kinjinji empobrece a memória viva da história de Angola.

 

Com profundo sentimento de pesar, o Bureau Político, recorda que o malogrado, nascido no Quéssua, província de Malanje, aos 16 de Janeiro de 1942, dedicou-se intensamente nas acções clandestinas da Luta pela Libertação Nacional.

 

Fruto deste engajamento, aponta a nota de condolências, David Queiróz Bernardo “ Kinjinji” foi preso e desterrado pelo regime colonial português, nas cadeias de São Paulo (1960), Colónia Penal do Bié (1961), Campo de trabalhos forçados do Missombo (1962) e São Nicolau (1962).

 

“ Oriundo do Movimento pela Independência Nacional de Angola (MINA), o Camarada Kinjinji integrou a primeira Comissão Directiva do MPLA no interior, destacando-se, na década dos anos 70, nos processos de constituição de comités de auto-defesa dos musseques de Luanda e de recrutamento de compatriotas para as fileiras da Organização de Defesa Popular (ODP)”, salienta-se.

 

Neste momento de dor e luto, o Bureau Político do Comité Central do MPLA, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do partido, inclina-se perante a memória de David Queiróz Bernardo "Kinjinji”, apresentando à família enlutada as mais sentidas condolências.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: